Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Funcionário da ONU é condenado a 7 anos de prisão por terrorismo na Etiópia

Adis-Abeba, 22 jun (EFE).- Um tribunal da Etiópia condenou nesta sexta-feira a sete anos e oito meses de prisão um funcionário local da ONU sob acusação de terrorismo por ligação com a insurgente Frente de Libertação Nacional de Ogaden (FLNO), que atua no sudeste do país.

O condenado, o etíope Abdirahman Sheikh Hassan, trabalhava como oficial de segurança da ONU na região de Ogaden e foi detido em julho de 2011, pouco após ajudar na negociação que conduziu à libertação de dois empregados do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas que haviam sido sequestrados.

No dia 18, Hassan foi declarado culpado, após ser acusado sob a polêmica Lei Antiterrorista etíope, muito criticada por várias ONGs que consideram a lei um instrumento do governo para reduzir a liberdade de expressão.

A Etiópia, que tem boas relações com o Ocidente, mantém, há mais de um ano, outro empregado da ONU preso, apesar de este não ter sido formalmente acusado de nenhum delito.

A sentença de Hassan gerou várias críticas à ONU por não exercer nenhum tipo de autoridade frente às ações do governo da etíope.

A Frente de Libertação Nacional de Ogaden (FLNO) é um grupo etíope de etnia somali que luta pela secessão dessa região desde 1984. EFE