Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Forças de paz da ONU afirmam que Síria vive guerra civil

Pela segunda vez, veículo com equipe de observadores foi alvo de tiros no norte do país

O chefe das forças de paz das Nações Unidas, Herve Ladsous, afirmou nesta terça-feira que o conflito na Síria vive uma guerra civil. “O governo sírio perdeu grande parte do seu território, diversas cidades, para a oposição e quer recuperar o controle”, disse. “Há um aumento significativo do nível de repressão.”

Leia também:

Leia também: Exército sírio usa crianças como escudo, relata ONU

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram milhares de pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

A troca de tiros não dá trégua. Somente neste terça-feira, pelo menos 36 pessoas morreram em confrontos, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). As forças do regime de Bashar Assad lançaram bombas em redutos rebeldes na província de Deir Ezzor, no leste; em Aleppo, no norte; e em várias partes da província de Homs, no centro.

Cerca de 120 pessoas morreram em Al-Hafa na semana passada, incluindo 58 soldados, 29 civis e 23 rebeldes, de acordo com o OSDH. Soldados do regime intensificaram seus ataques na cidade de Homs e em seus subúrbios, contra posições dos rebeldes.

Ataque – Foi nesta região – perto da cidade de Al-Hafa, na província de Latakia (noroeste) – que os observadores da ONU mobilizados no país tentavam entrar quando três de seus veículos foram alvejados por tiros. É a segunda vez que o grupo é atacado. Na semana passada, o mesmo ocorreu quando tentavam entrar em Al-Koubeir, perto de Hama.

“Os observadores da ONU que tentavam ir para Al-Hafa enfrentaram uma multidão furiosa que cercou os veículos, impedindo que prosseguissem seu caminho. Essa multidão, que parece ser composta por habitantes da região, lançou pedras e barras de ferro nos carros da ONU”, indicou a Missão de supervisão da ONU na Síria (Misnus) em um comunicado.

“Os observadores recuaram. Três veículos da ONU foram alvos de disparos quando se dirigiam em direção à região de Idleb”, acrescentou o comunicado. “A origem dos tiros ainda não foi esclarecida. Todos os observadores estão em suas bases e ilesos”, prosseguiu o relato, que indica que os observadores “têm tentado desde 7 de junho ir até Al-Hafa, mas foram impedidos pela violência que continua na região”.

(Com agência France-Presse)