Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Exército turco perde contato com caça perto da Síria

O Estado-Maior das Forças Armadas turcas anunciou nesta sexta-feira que havia perdido contato com uma de suas aeronaves que voava sobre o Mediterrâneo Oriental, em um setor próximo à Síria, o que levou o primeiro-ministro turco, Recep Tayip Erdogan, convocar uma reunião de crise.

“O contato por radar e rádio com uma de nossas aeronaves que decolou às 10h30 (04h30 de Brasília) de Malatya (leste da Turquia) foi cortado às 11h58 no mar a sudoeste da província de Hatay (sul)”, vizinha à Síria, afirmou o Estado-Maior em um comunicado difundido em seu site.

O incidente motivou a organização de uma reunião de crise entre o primeiro-ministro, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general Necdet Özel, o ministro do Interior, Idris Naim Sahin, o ministro das Relações Exteriores, Ahmet Davutoglu, o titular da pasta da Defesa, Ismet Yilmaz, e o chefe dos serviços secretos, Hakan Fidan.

A reunião seria realizada na sede da chefia de governo quando Erdogan chegasse a Istambul, indicou a agência de notícias Anatolia.

O primeiro-ministro, que volta do Brasil, onde participou da Rio+20, confirmou implicitamente que a Síria havia derrubado o avião, indicou um editorialista do jornal turco Habertürk. Damasco teria pedido desculpas pelo incidente.

Erdogan “afirmou que haviam sido apresentadas desculpas muito sérias por parte da Síria em relação a este acontecimento, que a Síria manifestou a sua grande tristeza, considerando que o fato se tratava de um erro”, escreveu o editorialista do Habertürk depois de uma conversa com o primeiro-ministro em seu voo de volta à Turquia proveniente do Brasil.

O chefe de governo acrescentou aos jornalistas que os dois pilotos do avião ainda estavam vivos, de acordo com o mesmo periódico.

“Neste momento, nossa força aérea e nossa Marinha efetuam as operações de busca e resgate no Mediterrâneo e, por sorte, nossos pilotos estão vivos. Perdemos apenas um avião”, declarou.

Procurado pela Anatolia, o governador de Malatya, Ulvi Saran, disse que a aeronave em questão era um avião de ataque F-4 Phanthom, com dois pilotos a bordo.

“As operações de busca e resgate foram lançadas imediatamente”, acrescentou.

A rede de notícias NTV, citando fontes militares que pediram para não ter suas identidades divulgadas, indicou que o avião caiu em águas territoriais sírias, mas que não houve violação da fronteira desse país.

Esta informação não foi confirmada por fontes oficiais.

Os navios das guardas costeiras síria e turca continuavam de maneira coordenada as buscas pelo avião, segundo a NTV.