Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Execuções na Arábia Saudita atingem maior nível em 20 anos

Anistia Internacional denuncia que país executou pelo menos 151 pessoas em 2015, o maior número desde 1995

A Arábia Saudita executou pelo menos 151 pessoas neste ano, o maior número desde 1995 e muito acima do índice anual dos últimos anos, que raramente passou dos 90 prisioneiros executados, denunciou a Anistia Internacional nesta segunda-feira.

A decapitação é a forma mais comum de execução na Arábia Saudita. Já os fuzilamentos, embora praticados em alguns locais do país, não são frequentes.

Ninguém no Ministério da Justiça da Arábia Saudita comentou o aumento do número de penas capitais, mas diplomatas especulam que o grande número de juízes nomeados este ano pode ter permitido que mais recursos fossem analisados, acelerando as condenações. Analistas políticos dizem que a escalada também pode refletir uma reação às guerras e à turbulência política na região.

Leia também:

Mãe de jovem saudita condenado à decapitação pede ajuda de Obama

Mulher saudita decepa a mão de empregada doméstica que reclamou de maus tratos

Arábia Saudita: cabeleireiro é preso por cortar cabelo de mulheres

A Arábia Saudita está entre os cinco países com maiores índices de execução de pessoas. O reino ficou em terceiro lugar em 2014, depois da China e do Irã, e à frente do Iraque e dos Estados Unidos, de acordo com dados da Anistia Internacional.

A última vez que a Arábia Saudita executou mais de 150 pessoas em um único ano foi em 1992, quando 192 execuções foram registradas, de acordo com o comunicado da Anistia Internacional.

(Com Reuters)