Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-ditador do Chade é condenado à prisão perpétua

Hissène Habré foi considerado culpado de crimes contra humanidade e estupro

O ex-ditador do Chade Hissène Habré foi sentenciado à prisão perpétua após ser considerado culpado de crimes contra a humanidade em um julgamento no Senegal nesta segunda-feira. As acusações incluíam execuções sumárias, tortura e estupro ocorridos enquanto Habré comandou o país, entre 1982 e 1990.

Em julgamento histórico, Habré é o primeiro ex-chefe de Estado a ser condenado por crimes contra a humanidade por uma Corte fora de seu país. Este também foi o primeiro caso em que um ex-chefe de Estado é condenado por estuprar alguém.

“Hissène Habré, o tribunal te considera culpado de execuções sumárias, desaparecimentos forçados, tortura, assassinato”, disse o juiz Gbertao Kam. “Ele [Habré] criou um sistema onde a impunidade e o terror reinavam. Ele não demonstrou nenhuma compaixão por suas vítimas nem expressa qualquer arrependimento sobre os massacres e as violações que foram cometidos”, acrescentou.

Leia também:

Praga devastadora provoca “crise do tomate” na Nigéria

Nigéria não exige desculpas de David Cameron – mas quer seu dinheiro de volta

Quênia queima maior estoque ilegal de marfim da história e quer banir comércio do produto

Habré vivia em Dacar, no Senegal, há 26 anos, gastando a fortuna que ele roubou do Chade pouco antes de fugir do país quando foi deposto por um golpe, reportou o jornal britânico The Guardian.

Chadianos comemoraram a decisão judicial. “A condenação de Habré pelos terríveis crimes após 25 anos são uma enorme vitória para as vítimas (…) O veredito envia uma poderosa mensagem de que os dias em que os tiranos poderiam brutalizar seus povos, pilhar suas riquezas e fugir para uma vida de luxo no exterior estão chegando ao fim”, disse Reed Brody, ativista da organização Humans Rights Watch que trabalhou com vítimas chadianas.

(Da redação)