Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estados Unidos anunciam saída da Unesco

Na esteira da decisão americana, o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, também pediu a saída de seu país

Os Estados Unidos irão deixar a Unesco, a agência de educação e cultura da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2018, anunciou o Departamento de Estado americano em comunicado nesta quinta-feira. A medida será colocada em vigor em 1º de janeiro, e, entre as causas alegadas pela decisão, está “o contínuo viés anti-Israel” da organização.

“Essa decisão não foi tomada facilmente, e reflete as preocupações dos Estados Unidos com crescentes contas atrasadas na Unesco, a necessidade de reformas fundamentais na organização e o contínuo viés anti-Israel na Unesco”, declarou o departamento. Segundo o comunicado, os Estados Unidos vão “continuar engajados” com a como “Estado observador” no organismo par “contribuir com as visões, perspectivas e expertise”.

Em 2011, Washington cortou sua contribuição financeira para a Unesco em protesto contra a decisão da agência conceder aos palestinos o status de membros plenos. A questão palestina também gerou revolta entre americanos e israelenses quando a agência listou como Patrimônio Mundial Da humanidade sob a tutela da Palestina a cidade de Hebron, território ocupado por Israel.

A decisão americana de abandonar a agência, segundo informa a revista Foreign Policy, é amparada pelo desejo de cortes orçamentários no Departamento de Estado, e já havia sido tomada semana atrás, durante a Assembléia Geral das Nações Unidas em Nova York. Não é a primeira vez que os Estados Unidos deixam a organização. Sob o governo de Ronald Reagan, o país suspendeu em 1984 seus laços com a Unesco, que foram retomados apenas por George W. Bush em 2002.

Israel de saída

Na esteira da decisão americana, o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, anunciou hoje no Twitter que deu instruções ao ministério de Relações Exteriores para “preparar a saída de Israel da Unesco em conjunto com os Estados Unidos”. O primeiro-ministro elogiou a decisão de Donald Trump e classificou o órgão da ONU de “teatro do absurdo, que distorce a história ao invés de preservá-la”.

Israel já havia suspendido as relações com a Unesco em reposta a uma proposta de resolução cuja linguagem, segundo autoridades israelenses, negava as conexões históricas dos judeus com sítios sagrados de Jerusalém.

“Profundo lamento”

A Unesco lamentou a decisão americana. “Após receber notificação oficial do secretário de Estado dos EUA, sr. Rex Tillerson, como diretora-geral da Unesco eu quero expressar meu profundo lamento com a decisão dos Estados Unidos da América de se retirarem da Unesco”, disse a diretora-geral da agência, Irina Bokova, em comunicado. A medida, para a representante da agência, significa “uma derrota para o multilateralismo e para a família ONU”.

(Com Reuters) 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Claudio Stainer

    O Brasil deve à UNESCO R$ 37 milhões. É a maior dívida entre todos os membros. Só Pasadena cobre cobrir a divida 80 vezes.

    Curtir

  2. Ricardo David

    Parabéns Trump, esse organismo serve para o que mesmo? 2018 será a nossa vez de acabar com a hipocrisia que assola o Brasil. Bolsonaro

    Curtir

  3. José Oscar S. Lopes

    Está certo os EUA, o viés ideológico de esquerda radical dessa Agência não ajuda em nada a harmonia entre as nações.

    Curtir

  4. Welder Willyan

    Parabéns Donald Trump pela postura! Isso sim é um Presidente de verdade! Chupa Comunistas!

    Curtir

  5. Fenix Lan House

    Parabéns ao presidente Trump pela louvável iniciativa!

    Curtir

  6. Márcio Alves de Almeida

    Fez muito bem, Trump. A Unesco, assim como outros órgãos da ONU, é composta majoritariamente por vermelhos. Então, funciona assim: eles recebem toda a estrutura e toda a dinheirama pra exercer suas prerrogativas, mas na hora de agir essa cambada vai contra, justamente, quem lhes sustenta. Por que não transferem a Unesco e outros órgãos inúteis da ONU para países governados por ditadores? Lá eles poderiam fazer coro com as ditaduras e mandar o pau nos EUA, Europa Ocidental, Japão, Coréia do Sul, Canadá, Nova Zelândia, enfim, fazer coro contra as sociedades que, até agora, deram certo no Planeta Terra.

    Curtir

  7. Finalmente um Presidente com coragem para acabar com esse circo, o de pagar um organismo que acoberta e defendem terroristas e genocidas.

    Curtir

  8. KeyserSoseRulz _

    Certissimos. Unesco e’ uma organizacao corrupta, usada por revisionistas para re-escrever a historia. Parabens Mr Trump.

    Curtir

  9. Paulo Roberto Zornitta

    Pois, num planeta agonizante, o mais importante é a unidade no que faz sentido e tem valor – no encontro de possibilidades e não na separatividade. O barco que navegamos é o mesmo – a Terra – e, tudo que acontecer ou for provocado pela insanidade humana (que tem sido histórica e hereditariamente desumana) afetará a tudo o que tem vida e é sagrado. Alguém disse: ” A casa de meu pai tem muitas moradas”….No avanço da tecnologia, parece haver menos sabedoria, pois sair e dar as costas para o que deve pacificamente ser enfrentado, não é a saída – senão fuga da responsabilidade. Pzornitta

    Curtir

  10. Fabio Ferreira De Souza

    O Brasil bem que podia acompanhar e sair também.

    Curtir