Equipes resgatam 15 corpos de avião russo que caiu no Mar Negro

Acidente aconteceu no último domingo e matou as 92 pessoas que estavam a bordo

As equipes de resgate recuperaram, nesta quarta-feira, quinze corpos e 239 fragmentos na área do Mar Negro, onde caiu um avião militar russo Tupolev-154 no último domingo, segundo o Ministério da Defesa da Rússia. O acidente matou as 92 pessoas que estavam a bordo.

De acordo com o governo russo, treze corpos e 168 fragmentos já foram levados ao Centro de Medicina Legal em Moscou para sua identificação e análise genética. Além disso, as equipes de resgate que trabalham pelo quarto dia consecutivo na área do acidente e encontraram hoje a segunda caixa-preta da aeronave.

A primeira caixa-preta, que registra os parâmetros de voo, foi recuperada nesta terça-feira e os especialistas já começaram a trabalhar em sua leitura.

Leia também:
Terremoto atinge o Estado de Nevada nos EUA
Festa de 15 anos que viralizou no México termina com um morto

Os primeiros dados obtidos pelos peritos ainda não permitiram antecipar uma hipótese prioritária sobre as causas do acidente, disse à agência oficial RIA Novosti uma fonte próxima à investigação. Segundo essa fonte, a comissão investigadora trabalha com uma série de motivos que podem ter causado o acidente do Tu-154: revisão ineficiente da aeronave, mal funcionamento dos “flaps”, erro de pilotagem, atentado terrorista, entre outras.

Participam das buscas pelos corpos das vítimas do acidente e de fragmentos do avião 46 embarcações, mais de trinta aviões e helicópteros, que já rastrearam uma superfície de 340 quilômetros quadrados, informou hoje o Ministério para Situações de Emergência da Rússia.

Uma fonte policial citada pela agência de notícias “Interfax” revelou que cerca de 30% dos destroços do avião já foram retirados do fundo do mar.

“Os meteorologistas preveem uma piora do tempo. Se houver crescimento das ondas, os trabalhos serão suspensos”, acrescentou a fonte.

A bordo da aeronave estavam seus oito tripulantes, 64 integrantes do grupo de música e dança Alexandrov do exército russo, nove jornalistas, outros oito militares, dois funcionários e a médica renomada Elizaveta Glinka, presidente de uma fundação humanitária.

Os artistas militares viajavam à Síria para participarem de uma apresentação de Ano Novo na base área de Khemeimim, em Latakia, no litoral sírio, onde a Rússia mantém um grupo de aviões de guerra.

(Com Agência EFE)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fábio Luís Inaimo

    Cadê a noticia de PuTrin alegando “não saber de nada” a respeito do escândalo de doping !? Igualzinho Lula e Dilma!!

    Curtir

  2. Fábio Luís Inaimo

    Tupolev TU-154, cópia sem vergonha do Boeing 727

    Curtir

  3. Carlos Marques

    Herois da União Sovietica…oppsss…da Rússia!

    Curtir