Equador e Chile se mobilizam depois de tsunami japonês

A previsão é de que a onda do tsunami toque a Ilha de Páscoa, a 3.600 quilômetros do litoral chileno, no fim da tarde, e o Chile continental a partir de 23h44 no horário local

Depois da mensagem divulgada pelo Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico sobre o risco de ondas gigantes provocadas pelo forte terremoto que atingiu o Japão nesta sexta-feira, dois países da América do Sul entraram em estado de atenção para a chegada de um possível tsunami na costa oeste do continente. O Chile e o Equador anunciaram medidas de prevenção e prometem estar prontos para reagir à chegada de um tsunami.

No Equador, o presidente Rafael Correa se reuniu com os responsáveis pelo sistema de resposta a emergências. As Ilhas Galápagos, situadas a cerca de 1.000 quilômetros do litoral americano, se preparam para uma possível evacuação de toda a sua população, de cerca de 17.000 pessoas, a pontos altos do território, disse à agência de notícias EFE o chefe da Reserva Marinha, Mario Villalta.

As autoridades locais estão à espera de uma determinação do Instituto Oceanográfico da Marinha do Equador (Indocar), que até o momento não divulgou um alerta oficial ligado ao terremoto de 8,8 graus que atingiu a costa nordeste do Japão. O Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico emitiu um alerta de maremoto para a faixa litorânea que vai do México ao Chile, além da Oceania e das ilhas do Pacífico.

Infográfico: entenda como acontecem os terremotos e os tsunamis

‘Temos tempo’ – Está previsto que a onda chegue a Galápagos às 17 horas do horário local (20 horas em Brasília), a previsão é de que atinja o continente às 19 horas locais (21 horas de Brasília), informou o Indocar. De acordo com Villalta, “dá tempo” para evacuar a população de Galápagos se for preciso. Neste caso, se pediria a todos os habitantes das ilhas que se desloquem ao ponto mais alto mais próximo, explicou ele.

No Chile, o governo declarou um alerta preventivo no litoral. A medida exclui, por enquanto, a evacuação de localidades litorâneas neste país, já afetadas pelo tsunami de fevereiro de 2010 – que deixou centenas de vítimas e graves danos. O subsecretário do Interior, Rodrigo Ulloa, pediu tranquilidade à população, embora tenha indicado que o hoverno decidiu ativar os comitês de emergência em todas as regiões do país.

Segundo o Serviço Hidrológico e Oceanográfico da Marinha do Chile (Shoa), a previsão é de que a onda do tsunami toque a Ilha de Páscoa, a 3.600 quilômetros do litoral chileno, no fim da tarde, e o Chile continental a partir de 23h44 no horário local. A Marinha avalia que, por enquanto, não existe o temor de que ondas com poder “destrutivo” cheguem à costa chilena – acredita-se que o efeito do tsunami no Japão seja de pequena intensidade no país.

(Com agência EFE)