ELN libertará jornalistas holandeses sequestrados na Colômbia

A segunda guerrilha mais importante da Colômbia, iniciaram em fevereiro diálogos de paz com o governo em Quito, sem grandes avanços

O grupo guerrilheiro Exército da Libertação Nacional (ELN) informou nesta quinta-feira que os dois jornalistas holandeses sequestrados no último sábado no leste da Colômbia serão libertados. “A Frente de Guerra Nordeste do ELN informa que os dois senhores holandeses capturados se encontram em bom estado de saúde e serão postos em liberdade com um comunicado”, indicou a guerrilha no Twitter.

O jornalista Derk Johannes Bolt, de 52 anos, e seu cinegrafista, Eugenio Ernest Marie Follender, de 68, foram sequestrados no vilarejo de Filo El Gringo, que faz parte do município de El Tarra, na região florestal de El Catatumbo. Essa aldeia é uma das grandes fortificações do ELN no país e nas suas cercanias também foi sequestrada a jornalista espanhola Salud Hernández, em maio do ano passado.

O ELN manifestou ontem que se for comprovado que os jornalistas holandeses foram sequestrados por alguma das suas unidades, os deixará em liberdade. “Se for verificado que, efetivamente, foram detidos por esta organização e comprovado que são jornalistas, serão libertados. Isso sim, entregues a uma comissão humanitária para garantir que retornem à liberdade sãos e salvos”, apontou o ELN.

Por sua vez, o chefe da equipe negociadora do governo colombiano nos diálogos com o ELN no Equador, Juan Camilo Restrepo, repudiou o sequestro e o qualificou de “torpe”. O ELN, a segunda guerrilha mais importante da Colômbia após as Farc, iniciaram em fevereiro deste ano diálogos de paz com o governo em Quito, sem grandes avanços até agora.

(Com EFE)