EI prepara mais ataques na UE, segundo Europol

Grupo extremista divulgou vídeo no domingo com últimas declarações dos terroristas de Paris e novas ameaças

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) prepara novos atentados na União Europeia (UE) e, mais concretamente, na França, segundo advertiu um relatório apresentado nesta segunda-feira pelo Escritório Europeu de Polícia, o Europol.

“As discussões levaram à conclusão de que o EI está preparando mais ataques terroristas, incluindo mais ataques ao estilo dos de Mumbai – que causaram 166 mortos em 2008 -, que seriam executados em Estados-membros da UE, e na França em particular”, segundo o relatório.

No domingo, o EI divulgou um vídeo em que ameaça os países da “coalizão”, sobretudo a Grã-Bretanha. Expressando-se em árabe e em francês, vários jihadistas dizem que “a mensagem é dirigida a todos os países que participam da coalizão” liderada pelos Estados Unidos. O vídeo também mostra um retrato do primeiro-ministro britânico, David Cameron, acompanhado de uma legenda em inglês que diz: “Quem quer que se alinhe com os infiéis será alvo das nossas espadas”.

Leia também:

Quatro de cada dez franceses que se juntaram ao EI em 2015 são mulheres

ONU: Estado Islâmico mantém cerca de 3.500 escravos no Iraque

O gabinete do primeiro-ministro britânico, David Cameron, minimizou as ameaças do grupo jihadista contra a Grã-Bretanha em seu novo vídeo, e afirmou que a organização terrorista está em declive. “Estamos no processo de examinar este último vídeo de propaganda que é claramente um novo gesto do grupo terrorista abominável e que está claramente em declive”, afirmou à imprensa um porta-voz de Cameron.

Paris – Publicada pelo braço midiático do EI, o Centro de Mídia Al Hayat, a gravação também contém imagens e últimas declarações de nove dos terroristas que participaram dos atentados em Paris no dia 13 de novembro do ano passado, entre eles o mentor dos ataques, Abdelhamid Abaaoud.

O vídeo deixa claro que os atentados em Paris não foram apenas inspirados pelo Estado Islâmico, e sim cometidos por membros-chave do grupo terrorista que foram treinados na Síria antes de serem designados para realizar os ataques em território europeu.

(Com agências AFP e EFE)