Dissidente cubano ganha prêmio na Europa

Fariñas já iniciou 23 greves de fome contra o regime dos irmãos Castro

O dissidente cubano Guillermo Fariñas – que já iniciou 23 greves de fome contra o regime dos irmãos Castro – foi anunciado nesta quinta-feira pelo Parlamento Europeu o vencedor do Prêmio SaKharov 2010 de liberdade de pensamento. Este é a terceira premiação concedida à oposição cubana, após a condecoração de Oswaldo Payá, em 2002, e das Damas de Branco, esposas de presos políticos, em 2005.

O reconhecimento ocorre pouco antes da reunião de segunda-feira dos ministros europeus das Relações Exteriores que deve revisar a Posição Comum com Cuba. O documento condiciona as relações da União Europeia (UE) com Havana a avanços nos direitos humanos e mais democracia.

Greve de fome – Após 135 dias sem comer, Fariñas desistiu da mais recente greve de fome a que se submeteu, no início de julho, após a Igreja Católica de Cuba anunciar a libertação de 52 presos políticos. O dissidente, que tem 48 anos, é jornalista e psicólogo. Ele permanecia em uma unidade de terapia intensiva desde o dia 11 de março, quando sofreu um choque hipoglicêmico em razão da falta de comida. Ele chegou a declarar que sua morte era iminente e que os culpados seriam Raul e Fidel Castro.

(Com agência France-Presse)