Discurso do imperador surpreende e emociona japoneses

Akihito fez 1º pronunciamento de um ocupante do Trono do Crisântemo na TV. Sofrendo com a tragédia, pediu: 'Cuidem uns dos outros, tenham esperança'

“Desejo de coração que todos os japoneses fiquem unidos para nos animar e superar este momento preocupante”, afirmou o imperador

O pronunciamento do imperador Akihito, nesta quarta-feira, teve enorme repercussão no Japão. Foi a primeira vez em 22 anos de reinado que o chefe do Trono do Crisântemo – a dinastia reinante mais antiga do mundo – apareceu na televisão e fez um discurso à população. O ineditismo da mensagem do imperador da era Heisei – “paz”, em japonês – foi vista como mais um indicativo da gravidade da situação do país depois do terremoto, do tsunami e da crise nuclear que começaram na sexta-feira passada. Sua fala foi marcada por frases emocionadas.

Akihito, de 77 anos, está com a saúde frágil, mas insistiu em fazer o pronunciamento, apesar de isso ser algo absolutamente incomum para um imperador. A mensagem, de cerca de cinco minutos e meio, foi lida pelo imperador, que segurava o texto nas mãos e não usou teleprompter. “Nunca tinha acontecido no Japão um terremoto de 9 graus. Não sabemos ainda o número de vítimas, mas rezo para que se salve o maior número possível”, declarou o monarca, com expressão séria e vestido com um terno cinza, seu traje costumeiro nas aparições públicas.

O momento solene surpreendeu e comoveu a população japonesa, que segue venerando seu imperador, embora sem a aura divina que marcou o reinado do pai, Hirohito, até a derrota japonesa na II Guerra Mundial. Se Akihito torna-se o primeiro imperador a fazer um discurso na TV, o pronunciamento de Hirohito em 1945 foi o primeiro a ser transmitido pelo rádio. Aquela foi a primeira vez que os japoneses ouviram a voz de seu monarca. Segundo a Casa Imperial, foram o próprio Akihito e a imperatriz Michiko que quiseram falar ao povo neste momento crítico (no vídeo a seguir, cenas do discurso).

Esperança – No discurso, Akihito destacou a reação dos japoneses diante da tragédia, observando que eles “não perderam a serenidade nem a ordem”. “Desejo de coração que todos continuemos unidos para nos animar e superar este momento preocupante”, afirmou o imperador. “Espero, sinceramente, que o povo possa superar este momento infeliz, cuidando uns dos outros.” Além disso, o imperador pediu aos japoneses que mantenham a calma nesta tragédia e “não abandonem a esperança”. Ele também manifestou preocupação com a crise nuclear.

Embora até agora não tivesse expressado em público sua dor pela tragédia, a Casa Imperial tinha divulgado que Akihito e Michiko enviaram doações às províncias mais afetadas e que o Palácio Imperial se solidarizava com os cortes de energia que os japoneses vêm sofrendo nos últimos dias. Akihito foi coroado imperador do Japão em 1989. Seu papel se limita ao de monarca constitucional que sanciona as nomeações oficiais e tem funções diplomáticas, mas sem poder executivo. Em seus seu reinado, ele tem tentado mostrar o lado humano da Casa Imperial.

(Com agência EFE)