Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Desde 1991, 17 presidentes caíram ou renunciaram na A.Latina

Redação Central, 22 jun (EFE).- Fernando Lugo é mais um dos presidentes latino-americanos destituídos pelos poderes Legislativos de seus países, derrubados por golpes de Estado ou que renunciaram em meio a graves protestos desde 1991, três deles no Equador e três na Bolívia.

Confira a seguir uma relação cronológica dos presidentes depostos de seus cargos na América Latina desde 1991:.

– 30 de setembro de 1991 (Haiti).- Após superar um golpe militar no dia 29 de julho, o presidente Jean Bertrand Aristide é derrubado pelo general Raoul Cedrás.

– 29 de dezembro de 1992 (Brasil).- O presidente Fernando Collor de Mello renuncia quando o Senado iniciava o procedimento para sua destituição por corrupção. O até então vice-presidente Itamar Franco assumiu o cargo máximo da República.

– 1º de junho de 1993 (Guatemala).- O presidente Jorge Serrano Elías renuncia devido à pressão da comunidade internacional e do Tribunal Constitucional de seu país, depois dar um autogolpe de Estado. O Congresso nomeou como substituto Ramiro de León.

– 31 de agosto de 1993 (Venezuela).- O Congresso destitui Carlos Andrés Pérez por suposto desvio e peculato. Foi interinamente sucedido pelo presidente do Congresso, Octavio Lepage, e pouco depois por Ramón José Velásquez.

– 6 de fevereiro de 1997 (Equador).- O Congresso Nacional destitui o presidente Abdalá Bucaram alegando ‘incapacidade mental’. Foi sucedido por Fabián Alarcón, presidente do Congresso.

– 28 de março de 1999 (Paraguai).- O presidente Raúl Cubas renuncia após meses de conflito aberto com os poderes Legislativo e Judiciário por causa de sua decisão de libertar e reabilitar o general golpista Lino Oviedo. Sua renúncia ocorreu antes de depor em um julgamento político no Congresso. Uma semana antes de sua saída do poder, o vice-presidente Luis María Argaña foi assassinado. A sucessão ficou a cargo do presidente do Senado, Luis González Macchi.

– 21 de janeiro de 2000 (Equador).- O presidente Jamil Mahuad é derrubado por um golpe de Estado de caráter cívico-militar, que entregou o poder ao vice-presidente Gustavo Noboa.

– 19 de novembro de 2000 (Peru).- Após meses de protestos no Parlamento e nas ruas, o presidente Alberto Fujimori – que estava fora do Peru, no Japão – renuncia ao cargo após dez anos no poder. Valentín Paniagua foi investido novo presidente.

– 19 de dezembro de 2001 (Argentina).- O presidente Fernando de la Rúa renuncia ao cargo em meio a uma forte convulsão social por uma grave situação econômica. Nas semanas seguintes se sucederam na Presidência de forma interina Ramón Puerta, presidente do Senado, e os peronistas Adolfo Rodríguez Saá e Eduardo Camaño, até que no dia 2 de janeiro tomou posse Eduardo Duhalde, eleito pelo Congresso.

– 12 de abril de 2002 (Venezuela).- Hugo Chávez é derrubado brevemente por um golpe cívico-militar. Após a derrocada, o então dirigente da entidade patronal Fedecamaras, Pedro Carmona, se autoproclamou presidente. Na madrugada de 13 de abril, forças militares recolocaram Chávez no poder.

– 17 de Outubro de 2003 (Bolívia).- O presidente Gonzalo Sánchez de Lozada renuncia e abandona o país em meio a protestos. Foi substituído no cargo pelo vice-presidente Carlos Mesa.

– 29 de fevereiro de 2004 (Haiti).- O presidente Jean-Bertrand Aristide deixa o poder após uma grave crise social e econômica. Toma posse o presidente da Corte Suprema, Boniface Alexandre.

– 7 de março de 2005 (Bolívia).- O presidente Carlos Mesa apresenta sua renúncia assediado pelos protestos dos sindicatos. O Congresso rejeita por unanimidade a renúncia do presidente, que posteriormente ratificou um pacto nacional com a maioria dos grupos parlamentares.

– 20 de abril de 2005 (Equador).- O presidente Lúcio Gutiérrez é destituído pelo Congresso após uma crise institucional. O que começou com uma disputa parlamentar em dezembro anterior se radicalizou em fevereiro quando a Corte Suprema decidiu anular os julgamentos por corrupção contra o ex-presidente Abdalá Bucaram, o que permitiu seu retorno ao país. Foi sucedido por Alfredo Palacio, até então vice-presidente.

– 9 de junho de 2005 (Bolívia).- Após semanas de manifestações, inclusive uma greve geral, em protesto contra a nacionalização das jazidas de petróleo e gás natural, dá-se o revezamento na Presidência da República de Carlos Mesa pelo então presidente da Corte Suprema, Eduardo Rodríguez Veltzé.

– 28 de junho de 2009 (Honduras).- O presidente Manuel Zelaya é destituído pelo Congresso de seu país horas após os militares o deterem e deportarem à vizinha Costa Rica. No mesmo dia, o Parlamento elegeu seu presidente, Roberto Micheletti, para substituí-lo no cargo executivo. Zelaya, que tinha tomado posse em janeiro de 2006, teve respaldo de muitos países. Foi substituído pelo presidente Porfirio Lobo.

– 22 de junho de 2012 (Paraguai).- O presidente Fernando Lugo é destituído pelo Congresso após um julgamento político por mau desempenho de suas funções qualificado por governos de esquerda como um golpe. O atual vice-presidente, Federico Franco, deve exercer a Presidência até as eleições de abril de 2013. EFE