Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Departamento de Estado propõe publicar e-mails de Hillary Clinton em 2016

As 55.000 páginas de documentos estão sendo revisadas para que informações sensíveis à segurança nacional sejam suprimidas. Pedido de publicação foi feito pela imprensa

O Departamento de Estado americano propôs à Justiça divulgar em janeiro de 2016 os e-mails do período em que Hillary Clinton esteve à frente da diplomacia dos Estados Unidos, publicou nesta terça-feira o site Politico. São 55.000 páginas de e-mails correspondentes ao período entre 2009 e 2012, que a ex-secretária de Estado entregou ao Departamento após o desconforto causado pelo fato de Hillary ter usado durante esses quatro anos uma conta pessoal para suas comunicações.

Os e-mails estão sendo revisados por funcionários do Departamento de Estado, que agora propõe publicá-los no dia 15 de janeiro de 2016, apenas duas semanas antes do primeiro grande evento eleitoral das primárias democratas, no Estado de Iowa, previsto para 1º de fevereiro. A revisão dos documentos é necessária pois caso haja alguma informação que ponha em risco a segurança dos Estados Unidos ou de cidadãos americanos, ela será suprimida. A divulgação desses documentos será a consequência de um pedido feito pelo veículo de comunicação Vice News, em prol da Lei de liberdade da informação.

Leia também

Jeb Bush diz que casamento gay não deve ser direito constitucional

Guerra do Iraque é vista como um erro por postulantes à Casa Branca

A única coisa que você precisa saber sobre Hillary Clinton

Carly Fiorina, ex-CEO da HP, entra na corrida presidencial dos EUA

“O Departamento entende o considerável interesse público destes documentos e está se esforçando para concluir a revisão o mais rápido possível”, disse ao juiz o diretor de Programas de Informação e Serviços do Departamento de Estado, John Hackett. “No entanto, a coleção é volumosa e, por causa da amplitude de temas, da natureza das comunicações e do interesse de várias agências, apresenta muitos desafios”, acrescentou, para propor depois o dia 15 de janeiro como data para sua publicação.

Caso o pedido do Departamento de Estado seja aceito, os e-mails de Hillary serão divulgados mais de um ano depois que foram entregues pela ex-secretária de Estado. A ex-primeira-dama, que parte como favorita para ser a candidata democrata nas eleições de 2016, reconheceu em março que teria sido “mais inteligente” usar uma conta de e-mail oficial e garantiu que somente apagou as mensagens que continham comunicações pessoais, não as relacionadas com seu trabalho como secretária de Estado.

Quando o caso dos e-mails veio à tona, no início de março, Hillary foi acusada de ter violado leis federais de registro de dados públicos ao utilizar sua conta pessoal para enviar mensagens de trabalho. Diante das acusações, a ex-primeira-dama disse que usou a conta pessoal “por conveniência”. Apesar da possibilidade de ter cometido um crime, até o momento não há nenhum processo aberto contra Hillary. O episódio afetou sua popularidade, que foi atingida também pelas recentes investigações sobre a origem de doações estrangeiras à entidade Clinton Foundation, mantida por sua família.

(Da redação)