Contra a baixa natalidade, Japão tem “serviços de cupido”

Governos locais promovem eventos para que solteiros se conheçam e até mantêm sites de namoro oficiais

Formar casais se tornou um papel do governo em cidades japonesas que sofrem com a baixa natalidade. Preocupados com a falta de bebês no país, Prefeituras promovem eventos de encontros e até financiam sites de namoro para tentar solucionar o problema.

Em Ishoka, cidade a cerca de uma hora de Tóquio, quase 80 homens e mulheres compareceram a um evento recente chamado de “konkatsu”, algo como “caça ao casamento”. As pessoas tinham tempo para conversar com vários pretendentes e, caso ficassem sem assunto, recebiam a ajuda de voluntários do “comitê de promoção do casamento” para incentivar o papo.

“Quando pensamos sobre como iremos prevenir a queda populacional, nada funciona sem o casamento”, disse Kazuhiko Suzuki, um oficial da Prefeitura de Ishioka, em entrevista à rede CNN. Nozomi Abiko, de 22 anos, funcionária de um banco local, foi ao evento após seu chefe reunir todas mulheres do escritório e sugerir que comparecessem. “Não podíamos dizer não para ele!”, comentou.

Leia também:
Ex-modelo é a nova líder da oposição japonesa
Japão tem mais de 65 mil pessoas com mais de 100 anos
Hisahito, o príncipe que veio salvar a velha dinastia japonesa

Segundo o Banco Mundial, a população do Japão diminuiu em um milhão de pessoas nos últimos cinco anos, chegando a 127 milhões. De acordo com a CNN, a preocupação é tanta que quase todas as prefeituras têm algum projeto para tentar unir casais. Pioneira no romance com apoio governamental, Fukui, uma cidade na costa oeste, possui um site de namoro oficial desde 2010.

Em Hiroshima, os eventos que começaram no ano passado parecem estar fazendo efeito. A Prefeitura afirma que 15 casais que se conheceram com ajuda do governo se casaram e um bebê é esperado para o ano que vem. Já em Ishioka, em três anos, apenas dois casais chegaram ao altar. Desesperado, o governo está testando outras opções, como oferecer auxílio moradia aos recém-casados e bolsas para pais jovens com bebê.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Ricardo Silva

    é só levar alguns refugiados brasileiros para a natalidade disparar.

    Curtir

  2. Micky Oliver

    Me pagam quanto? Falo apenas de passagem e estadia….o resto, deixem comigo! Já já o Império do Sol Nascente estará todo barrigudinho!

    Curtir

  3. Eu aqui!! Só pagar a passagem de ida. Em menos de vinte anos, faço uns 40 filhos. Geração neguinho vai rola no Japão.
    Moro em Fernandópolis- SP, Bairro: Vila Nova, Rua Brasil.

    Curtir