Colonos judeus reiniciam construções na Cisjordânia

A moratória que impedia novos assentamentos expirou neste domingo

O premiê israelense pediu ao presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, “que continue as boas e sinceras conversas que começamos recentemente, a fim de chegar a um acordo de paz histórico entre nossos dois povos”

Esta segunda-feira começou com grande movimentação na Cisjordânia. Logo no início da manhã, escavadeiras retomaram as construções dos assentamentos judaicos no território palestino ocupado – uma vez que o prazo de dez meses da moratória que determinava o congelamento de novas colônias expirou neste domingo.

No assentamento de Ariel, as escavadeiras começaram a preparar o terreno onde serão colocados os alicerces para um novo bairro que deverá ter pelo menos 50 casas. As novas residências serão destinadas a famílias que foram removidas em 2005 do assentamento de Netzarim, na Faixa de Gaza.

“Estamos aqui por direito”, declarou o morador Itzik Vazana, que está vivendo em um trailer, assim como os demais expulsos há cinco anos. “Espero que o primeiro-ministro (Benjamin Netanyahu) continue sendo fiel a sua palavra e facilite nosso retorno a uma vida normal”, acrescentou.

Acordo de paz – O fim da moratória foi comemorado no domingo com cerimônias em vários assentamentos. O governo israelense, porém, não se manifestou, cumprindo ordens do premiê que proibiu qualquer tipo de provocação e pediu “contenção”. Benjamin Netanyahu, agora, tem a missão de convencer os palestinos a continuarem as negociações de paz – que eles ameaçavam interromper caso as construções fossem reiniciadas.

“Peço ao presidente Mahmoud Abbas (da Autoridade Palestina) que continue as boas e sinceras conversas que começamos recentemente, a fim de chegar a um acordo de paz histórico entre nossos dois povos”, disse Netanyahu, em comunicado divulgado à imprensa ainda no domingo. “Pelo futuro de nossos povos, vamos nos focar no que realmente é importante. Vamos ter conversas sinceras e rápidas para chegar a um acordo em um ano.”

A nota ainda destaca que “Israel está preparado para continuar mantendo contatos nos próximos dias” com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, o presidente do Egito Hosni Mubarak e o rei da Jordânia Abdala a fim de encontrar uma forma de prosseguir com as negociações. “Muitos no mundo se deram conta de que minhas intenções de alcançar a paz são sérias e genuínas e que eu cumpro com meus compromissos”, enfatizou o premiê.

Nova reunião – Também no domingo, em função da expiração do prazo para novas construções, Hillary Clinton anunciou um novo encontro entre israelenses e palestinos na tentativa de impedir que as conversas de paz fracassem. “Continuamos em contato estreito com as duas partes e nos reuniremos com eles de novo nos próximos dias. Os EUA continuam centrados no objetivo de avançar nas negociações rumo à solução dos dois estados, e encoraja as partes a dar passos construtivos na direção deste fim”, declarou o porta-voz americano Philip J. Crowley.

(Com agência EFE)