Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Colisão entre navio dos EUA e cargueiro deixa 7 desaparecidos

Contratorpedeiro USS Fitzgerald colidiu com embarcação filipina na costa do Japão

Sete marinheiros americanos estão desaparecidos após a colisão entre um navio de guerra dos EUA e um cargueiro filipino na costa do Japão nesta sexta-feira. O contratorpedeiro USS Fitzgerald, de 154 metros de comprimento, colidiu com a embarcação ACX Crystal, de 222 metros, a 103 quilômetros da cidade japonesa de Yokosuka. Imagens aéreas divulgadas pela rede NHK mostram parte do casco do navio de guerra destruído.

Segundo a Marinha americana, pelo menos três marinheiros ficaram feridos no acidente. Um deles é o comandante do USS Fitzgerald, Bryce Benson, que foi transferido para o Hospital Naval dos EUA em Yokosuka. O destroier USS Dewey e outras embarcações da Marinha dos EUA foram deslocados à região para auxiliar a Guarda Costeira do Japão nas buscas pelos sete desaparecidos e prestar assistência nos reparos ao USS Fitzgerald.

“Os reforços da Marinha e da Guarda Costeira estão na área para garantir que os marinheiros do USS Fitzgerald tenham os recursos que eles precisam para estabilizar o navio”, afirmou o almirante John Richardson, chefe de Operações Navais dos EUA. “No momento temos duas prioridades: a segurança do navio e o bem-estar dos marinheiros.”

Imagem da rede de TV japonesa NHK

Imagem da rede de TV japonesa NHK (NHK/Reprodução)

Danos

De acordo com um comunicado da Marinha americana, o navio ainda opera com potência própria, mas sua propulsão é limitada. “O USS Fitzgerald sofreu danos em seu lado estibordo acima e abaixo da linha da água. A colisão resultou em algumas inundações. A extensão total dos danos ainda está sendo verificada.”

O contratorpedeiro, que leva uma tripulação de 330 marinheiros, pertence à classe Arleigh Burke de destróieres lança-mísseis e se encontra entre os de maior tamanho e potência de fogo construídos nos Estados Unidos. O USS Fitzgerald tem base em Yokosuka e apoia missões de paz e segurança na região Ásia-Pacífico.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Bem feito, foram desviar do pedágio da CCR e deu no deu

    Curtir

  2. Roberto Izumi

    Até o oceano ficou estreito ! Será que está precisando de farol ???

    Curtir