Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Casa Branca: reunião de Trump Jr não teve “nada de inapropriado”

Declaração do governo foi feita após o filho do presidente americano mudar sua versão sobre encontro com a advogada russa em 2016

Não há nada de inapropriado na reunião que o filho do presidente Donald Trump fez com uma advogada russa durante a campanha presidencial no ano passado, afirmou a Casa Branca nesta segunda-feira. “A única coisa que eu vejo de inapropriado é o fato de vazarem a informação sobre ela, depois de ter sido revelada voluntariamente”, disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, em uma coletiva de imprensa, acrescentando que é algo rotineiro durante uma campanha política que pessoas liguem oferecendo informações.

A declaração oficial aconteceu depois que Donald Trump Jr. mudou sua versão sobre a reunião. No sábado, uma reportagem do New York Times revelou que Trump Jr. organizou um encontro entre membros da campanha e uma advogada russa supostamente ligada ao Kremlin em julho de 2016. Em um comunicado, Trump Jr. confirmou a reunião, mas afirmou que o assunto era o programa de adoção de crianças russas interrompido pelo governo em MoscouNo domingo, no entanto, ele mudou sua versão e admitiu que o encontro aconteceu porque a advogada, Natalia Veselnitskay, dizia ter informações sobre Hillary Clinton.

Citando pessoas que estiveram presentes, o New York Times informou que Trump Jr. participou do encontro com a promessa de obter “informação prejudicial” sobre a então candidata democrata. Também teriam participado o genro e hoje assessor direto de Trump na Casa Branca, Jared Kushner, e o então diretor de campanha do candidato republicano, Paul Manafort.

Em nota enviada ao jornal, Trump Jr. disse que a advogada “afirmou ter informações sobre pessoas conectadas com a Rússia que financiavam o Comitê Nacional Democrata e apoiavam Hillary”. “Logo ficou evidente que não tinha informação significativa”, escreveu, acrescentando que, na sequência, a advogada falou sobre o programa de adoção. O filho de Trump garantiu que as adoções foram “o verdadeiro tema do encontro, e as afirmações sobre informação potencialmente útil [sobre Hillary Clinton] foram um pretexto para realizar a reunião”. “Don Jr. fez uma reunião muito breve, que não teve qualquer consequência”, defendeu Sanders.

A pedido de um cliente

O especialista em relações públicas que marcou o encontro entre Trump Jr. e Natalia Veselnitskay disse nesta segunda-feira que agiu a pedido do empresário e cantor Emin Agalarov, um cliente que mora em Moscou. Rob Goldstone disse em comunicado que Agalarov solicitou que ele facilitasse um encontro entre o filho de Trump e a advogada russa. Segundo ele, Veselnitskaya abriu a reunião com algumas declarações sobre financiamento de campanha, antes de mudar o tema para a proibição da adoção de crianças russas, momento no qual Trump Jr. teria interrompido interrompeu a reunião. “Nada saiu daquela reunião e não houve continuidade entre as partes”, disse Goldstone.

Cara a cara com Putin

No domingo, Trump publicou uma série de tuítes sobre seu primeiro encontro cara a cara com o presidente russo Vladimir Putin durante a cúpula do G20. Neles, disse ter confrontado o colega russo sobre as denúncias de interferência das agências de Inteligência de Moscou na corrida presidencial americana. “Insisti energicamente duas vezes com o presidente Putin sobre uma interferência russa na nossa eleição”, escreveu, acrescentando que “ele negou veementemente”.

Trump reiterou que chegou o momento de fazer a relação bilateral avançar, ainda que Estados Unidos e Rússia mantenham várias divergências sobre temas globais. “É hora de trabalhar de forma construtiva com a Rússia”, defendeu. Como exemplo, mencionou o cessar-fogo na Síria acertado junto com Moscou e Amã, o qual entrou em vigor no domingo.