Cardeais querem informações sobre relatório secreto

Investigação sobre problemas na Igreja só deverá ser entregue ao novo papa

Cardeais que participam das reuniões preparatórias para o conclave exigem receber informações sobre um relatório secreto sobre os desmandos na sede da Igreja. O documento foi encomendado pelo papa emérito Bento XVI a três cardeais de sua confiança depois do escândalo do vazamento de documentos pontifícios, que foi apelidado de Vatileaks.

Inicialmente ficou decidido que o resultado da investigação paralela será entregue apenas ao futuro papa, não aos cardeais. No entanto, uma fonte que participa das reuniões preparatórias (realizadas a portas fechadas), afirmou à agência Reuters que o relatório foi tema das discussões desta segunda-feira. Não se sabe se o pedido para ter acesso ao documento foi apresentado formalmente ou apenas em conversas informais.

Leia também:

Leia também: ‘Não existe isso de dois papas’, diz professor de direito canônico

O documento elaborado pelos cardeais Julián Herranz Casado, Jozef Tomko e Salvatore De Giorgi traz informações sobre chantagem contra altos integrantes da Cúria, a administração central do Vaticano, e transações ilícitas no Banco do Vaticano.

“Eles querem ser informados sobre o relatório”, disse o cardeal, que falou sob a condição de anonimato. “Mas é um relatório longuíssimo, e, tecnicamente, secreto”.

Saiba mais:

Saiba mais: Os desafios que Bento XVI deixa para o novo pontífice

Em uma entrevista coletiva nesta segunda, o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, deu uma resposta evasiva ao ser questionado sobre o tema. “Certamente, pode haver vários membros do Colégio de Cardeais que querem informações que eles acreditam que possam ser úteis ou pertinentes à situação da Cúria”.

A primeira congregação de cardeais preparatória contou com a presença de aproximadamente 150 cardeais, dos 207 que compõem o Colégio Cardinalício. Todos podem participar dos encontros preparatórios, mas apenas os que têm menos de 80 anos podem votar no conclave – que ainda não tem data definida para começar.