Atirador matou três pessoas em São Francisco

Polícia acredita que o ataque envolveu um único homem e descartou que se trate de um ato terrorista

O tiroteio em um depósito da companhia de entregas UPS, em São Francisco, que aconteceu na manhã desta quarta-feira, deixou três mortos e dois feridos, além do agressor, que se suicidou. A polícia local descartou, até o momento, que se trate de um ato terrorista. “Sabemos que [o ataque] envolveu um único homem” e “neste momento não acreditamos que esse incidente esteja relacionado com terrorismo”, disse o chefe da polícia em exercício, Toney Chaplin.

O agressor vestia um uniforme da UPS, mas, segundo Chaplin, ainda não está confirmado se ele era um funcionário da empresa. O incidente aconteceu em um depósito da companhia responsável pelas entregas na área de São Francisco. Nessa instalação, que foi esvaziada, trabalham 850 pessoas.

A polícia orientou moradores e trabalhadores da empresa que procurassem abrigo, enquanto respondiam ao chamado de emergência pela manhã. Depois de socorrer as vítimas e esvaziar o prédio, a polícia encontrou o agressor. Ainda armado, ele atirou na própria cabeça antes de ser detido.

O porta-voz da UPS Steven Gaunt disse à imprensa local que o atirador, aparentemente um funcionário insatisfeito, invadiu uma sala, onde os trabalhadores se reuniam antes de sair para fazer entrega de encomendas. Então, ele atirou.

Ataque a republicanos

Em outro ataque na manhã desta quarta-feira, um homem atirou com um fuzil contra um grupo de congressistas, assessores e seguranças que participavam de um treino de beisebol em Alexandria, no Estado da Virgínia. Cinco pessoas ficaram feridas, entre elas o deputado Steve Scalise, um dos líderes do Partido Republicano. Scalise foi submetido a uma cirurgia e se encontra em estado “crítico”, informou o hospital onde ele está internado.

Os dois ataques não estão relacionados.