Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ataque de mulher-bomba mata policial em Istambul

É o segundo ataque contra a polícia em menos de uma semana na cidade

Um ataque suicida de uma mulher-bomba no centro histórico de Istambul, na Turquia, deixou um policial morto e outro ferido nesta terça-feira. A mulher detonou os explosivos dentro de uma delegacia de polícia no distrito de Sultanahmet, que concentra algumas das principais atrações turísticas da cidade, como a Mesquita Azul.

Segundo as autoridades, a mulher falou em inglês ao entrar no prédio e disse que havia perdido uma carteira. A nacionalidade e a identidade da suicida ainda são desconhecidas. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque.

Leia também:

Jovem que chamou presidente turco de ‘ladrão’ é solto

Justiça turca ordena prisão de clérigo adversário do governo

Este foi o segundo ataque contra a polícia em menos de uma semana em Istambul. Na última quinta-feira, a polícia dominou um homem depois de ele lançar granadas e disparar contra oficiais nas proximidades do gabinete do primeiro-ministro. O grupo de esquerda Partido da Frente Libertação Popular Revolucionária (DHKP-C) reivindicou a autoria do ataque e alertou sobre outros atentados.

O grupo também foi responsável por um atentado suicida na embaixada dos Estados Unidos no ano passado, que matou um guarda. O DHKP-C, no entanto, não é a única ameaça à segurança na Turquia. Alguns dos terroristas que se juntaram ao Estado Islâmico na Síria e no Iraque entraram nesses territórios via Turquia, aumentando a preocupação de que poderiam voltar para atacar em solo turco.

Ataques suicidas têm sido raros na Turquia desde que o governo iniciou conversações de paz, em 2012, como o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), para encerrar um conflito de três décadas. Nas últimas semanas, contudo, houve confrontos no sudeste predominantemente curdo entre os membros do partido islâmico curdo e jovens ligados ao PKK.

(Com agência Reuters e Estadão Conteúdo)