Ataque a Guam ocorrerá até o meio de agosto, diz Coreia do Norte

Comandante das forças estratégicas do regime de Kim Jong-un diz que plano para lançar mísseis contra território americano continua em vigor

Apesar das crescentes ameaças dos Estados Unidos, a Coreia do Norte afirmou nesta quarta-feira que o plano de lançar mísseis contra o território americano de Guam continua em vigor e será executado até o meio de agosto. A declaração foi feita pelo general do Exército norte-coreano, Kim Rak Gyom, que comanda as forças estratégicas do regime de Kim Jong-un.

“Nossas forças estratégicas estão bastante determinados a demonstrar, sem receios, a todo o mundo o nosso poder, que foi fortalecido pelas armas nucleares, por meio de ações militares contra as bases agressoras do império yankee“, disse o general norte-coreano. Em uma declaração emitida na manhã da quinta-feira (horário local), ele disse que os mísseis a serem lançados sobrevoarão Shimane, Hiroshima e Kochi, no Japão, durante cerca de 17 minutos até chegarem a zonas marítimas nas proximidades de Guam.

Mais cedo nesta quarta-feira, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, respondeu às ameaças anteriores de Pyongyang, dizendo que Kim Jong-un deveria atender à “voz única” do Conselho de Segurança das Nações Unidas e que o regime norte-coreano sairia perdendo em qualquer conflito que iniciasse. Na tarde da terça-feira, o presidente americano, Donald Trump, declarou que a Coreia do Norte enfrentaria fogo e fúria jamais vistos no mundo caso continuasse a ameaçar Washington.

A fala de Trump também foi comentada pelo general Gyom. Segundo ele, o presidente americano “não entendeu o rumo da situação atual, e está nos incitando ainda mais a atirar os nossos [mísseis] Hwasong. Ele não traduziu nossa declaração. Chegamos à conclusão de que é impossível fazer um diálogo com quem é desprovido de razão. Temos que tratá-lo com força absoluta”, disse.

(com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Tenho certeza de que uma psicóloga poderá interpretar as palavras do general Gyom.

    Curtir

  2. desde que pessoas inocente não morra.

    Curtir

  3. Cicero Cândido da Silva

    Esse Kim Jong é mesmo uma piada.Onde já se viu um ataquem com data e caminho dos misseis divulgados com bastante antecedência? Somente se o alvo fosse uma escola de jardim de infância que esses misseis chegariam lá, mas contra um país campeão em interceptação de foguetes seria o mesmo que tomar doces de crianças.Conta outra Kim!!!!!

    Curtir

  4. Edney Jose da Silva

    O que a corrupção não faz com uma nação, um país menor que São Paulo causando esse reboliço todo no mundo, e aqui com toda essa riqueza não se consegue nem dar segurança para a população!

    Curtir

  5. Lendo essa reportagem eu tenho certeza absoluta que o Kin Jong-un comeu m*rda. Pois a única alternativa a isso seria ele deter poder bélico suficiente pra atacar e vencer os EUA. Como não tem…

    Curtir

  6. Isaac Vieira

    Pra mim o gordinho está blefando, ninguém anuncia a seus inimigos que irá lançar um ataque pq o inimigo irá se precaver com a sua linha de defesa.
    Ele é um embusteiro e assim como qualquer comunista deve morrer.

    Curtir