Assange promete se entregar se Obama perdoar informante presa

Chelsea Manning foi condenada a 35 anos de prisão em 2013 por roubar e vazar 750.000 páginas de documentos confidenciais ao WikiLeaks

O fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, prometeu se entregar à Justiça americana se o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conceder perdão a Chelsea Manning, informante do WikiLeaks presa no Texas. Manning foi condenada a 35 anos de prisão em 2013 por roubar e vazar 750.000 páginas de documentos confidenciais ao site de Assange, ato descrito como o maior vazamento de material sigiloso na história dos EUA.

LEIA MAIS:
Informante do Wikileaks é internada após possível tentativa de suicídio
Suécia quer interrogar Assange mais uma vez em Londres
Assange: há ‘muito material’ da campanha a ser revelado
Assange vive há quatro anos na embaixada do Equador em Londres, onde obteve asilo político. Se deixar o prédio, o fundador do WikiLeaks será preso e extraditado à Suécia, onde é investigado por crimes sexuais. Assange teme que, se for enviado à Suécia, pode ser extraditado para os Estados Unidos, onde poderia ser condenado à pena de morte pelo vazamento de documentos governamentais sigilosos.

A proposta de se entregar em troca do perdão a Manning foi enviada por meio de uma carta de Barry Pollack, advogado de Assange, à procuradora-geral americana Loretta Lynch nesta quinta-feira. À rede CNN, o Departamento de Justiça informou não ter conhecimento de nenhum pedido de acordo por parte de Assange ou de seus representantes.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Martinus Felix

    Assange ama um holofote. Ele sabe muito bem que uma troca assim não é possível.

    Curtir