Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após discurso de Obama, França diz que manterá arsenal nuclear

Presidente americano pediu ajuda da Rússia para redução de armas nucleares

A França não está disposta a reduzir seu arsenal nuclear por enquanto, disse na quarta-feira o ministro da Defesa, Jean-Yves Le Drian, após o presidente dos EUA, Barack Obama, ter sugerido um esforço global para reduzir os estoques de armas atômicas. Em uma coletiva em Berlim, Obama pediu ajuda da Rússia para avançar no tratado “Novo START”, que exige que os dois países reduzam os estoques de armas nucleares implantadas para 1.550 cada um até 2018.

“Barack Obama está propondo à Rússia que, juntos, eles reduzam. Isso é bom, mas não é assim que vemos as coisas”, disse Le Drian à rádio France Info, dizendo que a França já tinha diminuído seu arsenal para pouco menos de 300 ogivas. “A verdadeira questão é a proliferação nuclear, é o risco futuro de o Irã obter uma arma nuclear”, acrescentou.

Leia também:

Leia também: EUA e Rússia voltam a discordar sobre guerra na Síria

A Rússia teve uma reação fria ao pedido de Obama por uma redução de um terço nos arsenais implantados, dizendo que não poderia levar tais propostas a sério enquanto Washington estiver reforçando suas próprias defesas antimísseis.

A visão de um “mundo sem armas nucleares” estabelecida por Obama em um discurso em Praga em 2009, apenas três meses após assumir a Presidência, rendeu a ele o Prêmio Nobel da Paz. No entanto, a ausência de resultados até agora tem alimentado críticas de que o prêmio pode ter sido prematuro.

(Com agência Reuters)