Após cirurgia no crânio, Malala recebe alta de hospital

Recuperação total ainda pode levar de 15 a 18 meses, segundo médicos

A jovem paquistanesa Malala Yousafzai, vítima de um ataque do talibã em outubro de 2012, recebeu alta do hospital britânico de Birmingham nesta sexta-feira. No sábado passado, ela foi submetida a uma dupla cirurgia no crânio que durou quase cinco horas.

A primeira intervenção consistia em abrir seu crânio a fim de inserir uma placa de titânio sob medida. A segunda foi para instalar um micro aparelho auditivo. Malala está completamente surda do ouvido esquerdo. No ataque, seu tímpano foi destruído, assim como os nervos da audição. A recuperação total ainda poderá levar de “15 a 18 meses”, indicaram os médicos.

Agora, Malala continuará seu processo de reabilitação na casa temporária de sua família em Birmingham e visitará o hospital ocasionalmente para consultas médicas. Ainda não se sabe quando a adolescente voltará ao Paquistão.

Na primeira entrevista concedida após o ataque que quase a matou, a jovem paquistanesa disse que ganhou uma “segunda vida”, graças às orações de todos os que a apoiaram, no mundo todo. “Hoje vocês podem ver que eu estou viva. Eu posso falar, posso ver todos e estou ficando melhor dia após dia”, disse Malala em um vídeo divulgado na última segunda-feira pelo hospital.

Caso – Malala foi atingida por um tiro na cabeça durante um ataque dos talibãs contra o ônibus escolar que a transportava no dia 9 de outubro de 2012, no vale de Swat (noroeste do Paquistão). Os talibãs queriam matá-la por causa de sua luta pelo direito das meninas de ir à escola.

A jovem passou a ser conhecida internacionalmente há três anos, quando criou um blog no qual falava sobre o regime de terror imposto pelos talibãs na região onde nasceu. Malala já recebeu o Prêmio Nacional da Paz por defender o acesso das meninas paquistanesas à educação.