Após atentado, egípcios bombardeiam grupos terroristas na Líbia

O presidente do Egito, Abdel Fatah al Sisi, responsabilizou o Estado Islâmico (EI) pelo ataque da manhã desta sexta

Aviões egípcios bombardearam nesta sexta-feira o principal acampamento de grupos terroristas no leste de Líbia. O presidente do Egito, Abdel Fatah al Sisi, anunciou que não hesitará em atacar jihadistas após o atentado que matou 28 cristãos. Sisi responsabilizou o Estado Islâmico (EI) pelo ataque.

Segundo a agência estatal de notícias egípcia Men, a força aérea egípcia destruiu “totalmente” locais ocupados pelos grupos islamitas Majlis al Shura, ligado ao Hamas, e Mujaheddin. Os aviões realizaram seis ataques em regiões próximas à cidade de Derna, no leste de Líbia.

Poucos minutos antes do anúncio deste bombardeio, o presidente egípcio prometeu, em um discurso transmitido pela TV, atacar jihadistas e seus campos de treinamento tanto “em solo egípcio como estrangeiro”. Sisi acusou o grupo terrorista Estado Islâmico de ter cometido o ataque realizado hoje por dez homens mascarados a um ônibus que levava cristãos coptas para o mosteiro de São Samuel, na província de Minia, no sul do Egito.

No entanto, o grupo jihadista não assumiu a autoria do atentado.

(Com EFE)