Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Veja como foi o debate entre Le Pen e Macron na França

Marine Le Pen, da Frente Nacional, e Emmanuel Macron, do En Marche!, se enfrentaram no último debate antes da eleição do dia 7 de maio

Os dois candidatos restantes na disputa pela Presidência da França – a candidata de extrema-direita Marine Le Pen, da Frente Nacional e o centrista Emmanuel Macron, do En Marche!  protagonizaram um último embate decisivo nesta quarta-feira. A quatro dias do segundo turno da eleição, o enfrentamento diante de milhões de telespectadores é chave para cativar os 16% de eleitores indecisos.

Veja como foi o debate:


18:35 – Ao final da fala de encerramento do oponente, Le Pen ironiza: “Igual a Hollande!”. Le Pen é repreendida pelo apresentador por não cumprir o acordo de que Macron encerraria o debate. Ela ri. Não há tempo para mais nada. Debate encerrado após duas horas e meia, ultrapassando as 23h na França. Os cronômetros mostram que cada candidato falou ao redor de uma hora e dois minutos.


18:30 – Declarações finais. Le Pen: “Podem me chamar de brega, mas eu adoro essa França milenar, sua cultura, sua língua, suas fronteiras, com seu povo hoje jogado numa guerra fratricida que quer obter o máximo lucro. Essa é a França que você Macron quer. Um projeto que quer desestruturar a França para ajudar as instituições financeiras que estão do seu lado.” Declaração final de Macron, que ganhou o direito de falar por último em sorteio: “Não quero os aproveitadores do fracasso e exploradores do ódio. A França merece mais que isso. Nosso país está em uma crise profunda e moral, pelo fracasso das politicas dos últimos 20 anos. Alguns aproveitam desse ódio. Eu quero responder com coragem. Primeiro a coragem da verdade: eu não prometo coisas inverossímeis. Recuso o espirito de derrota e ódio da Frente Nacional.”


18:15 – Apenas no final do debate, surgem as acusações de corrupção. Macron diz que a Frente Nacional é “o partido dos casos de corrupção”– fazendo referência aos assessores de eurodeputados acusados de receber sem comparecer ao trabalho. Le Pen diz que é vítima de juízes com intenções políticas. Macron diz que ela é “indigna” ao sugerir que os juízes são parciais. Ela reafirma: “Sim, há magistrados com intenções políticas, mas você não se preocupa porque estão do seu lado”.


18:10 – Cada candidato apresenta seu projeto para a educação. Le Pen diz que não quer o véu islâmico nas universidades. Também quer acabar com a ideia de que todo mundo tem que fazer mestrado, “não é isso que garante o emprego”. Ela diz que esta ideia foi disseminada pelos “bobôs”, expressão francesa para “bourgeois-bohème” (burguês-boêmio), um tipo típico da classe intelectual parisiense que integrantes da Frente Nacional adoram criticar.


18:03 – Na reta final do debate, a política externa entra em jogo. Le Pen diz que o “protecionismo inteligente” que ela defende é o que está se propagando no mundo, com Donald Trump e Theresa May, e não o “ultraliberalismo anos 90” de Macron, “estilo Margaret Thatcher”. Também diz que a França deve respeitar as formas de fazer política de outros países e defende boas relações com a Rússia. Macron: “Se a senhora for eleita, o mundo não nos olhará com bons olhos. Não será uma boa imagem da França”.


Macron: “Eu sou o candidato de uma França forte em uma Europa que protege”


Le Pen: “De qualquer jeito, a Europa vai ser governada por uma mulher: por mim ou pela madame Merkel”


17:55 – O debate da relação com a Europa leva os candidatos a um passeio histórico. Macron diz que o nacionalismo pregado por Le Pen levou a Europa, no passado, a pagar um preço caro, fazendo referência à Segunda Guerra. Le Pen diz que é o desequilíbrio entre Alemanha e França que pode levar à guerra. “A guerra acontece quando há submissão. Você propõe a submissão econômica da França à Alemanha”, acusa Le Pen


Apoiadores do candidato centrista acompanham o debate na França

Debate presidencial entre Marine Le Pen e Emmanuel Macron

Apoiadores do movimento “Em Marcha!” e do candidato à presidência da França, Emmanuel Macron, assistem ao debate entre ele e a candidata de extrema-direita Marine Le Pen – 03/05/2017 (Chesnot/Getty Images)


17:45 – Debate chega ao euro. Le Pen bate forte: “O euro é a moeda dos banqueiros, não é a moeda do povo. Antes do Brexit diziam que a economia britânica iria afundar. Esse argumento não funciona mais, Senhor Macron!”. Ele rebate: “O Reino Unido nunca esteve na zona do euro, Senhora Le Pen”. Ele diz que o projeto de Le Pen de sair da moeda comum é perigoso. Ele quer “um euro forte” e diz que a saída do euro levaria a uma perda geral de renda imediata para empreendedores e agricultores franceses. “Voltando ao franco, nós vamos perder em competitividade”.


Enquanto a candidata anti-imigração e anti-UE, Marine Le Pen, já era conhecida no meio político, o centrista Macron, ex-ministro da Economia, apareceu como uma figura improvável que cresceu durante a corrida eleitoral. Conheça as excentricidades do banqueiro socialista que lidera as pesquisas 


17:40 – No Twitter francês, a jornalista Nathalie Saint Cricq vira trending topic. O motivo: ela praticamente não participa do debate. São inúmeras as piadas. Alguns dizem que ela foi vista comprando kebab na esquina do estúdio. Outros dizem que ela saiu de licença médica. Mais risadas em uma das poucas intervenções da jornalista, que foi para dizer “Parem vocês dois!” no meio de um debate mais ríspido. Já é o meme do debate.

(Reprodução/Twitter)


Imagem dos bastidores

Debate presidencial entre Marine Le Pen e Emmanuel Macron

Os jornalistas Christophe Jakubyszyn e Nathalie Saint-Cricq, junto aos candidatos à presidência da França Marine Le Pen e Emmanuel Macron, se preparando para o debate em Paris – 03/05/2017 (Eric Feferberg/AFP)


17:35 – O debate parecia mais calmo, mas foi apenas uma breve trégua antes que as artilharias voltassem a se posicionar. Le Pen não perde a oportunidade de lembrar que Macron foi ministro do governo que está chegando ao fim. “François Hollande manifesta apoio a você duas vezes por dia!”, ironiza. De fato, nos últimos dias, não apenas Hollande como diversos ministros do atual governo manifestaram apoio público a Macron, o que para ele é uma espécie de “presente de grego”, já que claramente não quer se associar à imagem do governo Hollande.


Le Pen: “A segurança e o terrorismo são dois aspectos grandes que estão totalmente ausentes do projeto de Macron”


Macron: “A luta contra o terrorismo é a prioridade dos próximos anos. Será a minha prioridade”


17:30 – Passada metade do debate, o ritmo da discussão parece se arrefecer um pouco, depois de um início bastante intenso. Os candidatos aproveitam a pergunta do jornalista Christophe Jakubyszyn para falar mais calmamente sobre a criminalidade. Ele quer saber o que cada um compreende pela expressão “tolerância zero” com crimes, usado por ambos. Le Pen ajeita o cabelo e gesticula, parece descontraída e confiante. Ambos criticam as leis que permitem a criminosos cumprir pena em liberdade.


Macron e Le Pen trocam críticas no início de debate na França


17:10 – Novo momento tenso do debate quando Le Pen diz que Macron tem o apoio da União das Organizações Islâmicas da França (UOIF na sigla em francês) e que aceitou este apoio. Em seguida, afirma que há dirigentes da IOIF que defendem pena de morte para homossexuais. Macron nega ligação com a UOIF e diz que vai “desmontar sem piedade” as associações extremistas islâmicas.


Candidatos à presidência da França, Marine Le Pen e Emmanuel Macron, se enfrentam em debate presidencial antes do segundo turno das eleições, em Paris

Candidatos à presidência da França, Marine Le Pen e Emmanuel Macron, se enfrentam em debate presidencial antes do segundo turno das eleições, em Paris (Eric Feferberg/AFP)


Acompanhe o debate com tradução simultânea para o inglês 


17:00 – Chegamos ao terrorismo. Le Pen diz que “Macron não quer combater o terrorismo, porque para isso precisa restabelecer as fronteiras”. E lista suas propostas: restabelecer fronteiras, expulsar todas as 11.000 pessoas monitoradas por ligação com o terrorismo e a destituição da nacionalidade francesa aos que tem dupla nacionalidade. Macron ironiza: “Eles vão morrer de medo de perder a nacionalidade! São homens que se suicidam, por que eles tremeriam diante da possibilidade de perder a nacionalidade?”. Marine em seguida diz que diversas associações muçulmanas acusadas de serem radicais já manifestaram apoio a Macron.


16:59– Macron acabou disparando no tempo, abrindo três minutos sobre Le Pen. Os apresentadores concedem a ela mais tempo para falar de sua proposta para a previdência detalhadamente. Le Pen diz que quer caminhar aos poucos para a idade mínima de 60 anos – hoje é 62 anos. Mas recua em sua proposta inicial, que era de passar aos 60 anos imediatamente ao ser eleita. Macron acusa que ela mudou o discurso e diz que é porque ela sabe que isso aumentará o deficit. Macron quer manter a idade mínima e unificar os regimes da previdência. Hoje existem 37 regimes diferentes.


No Twitter, os moderadores Nathalie Saint-Cricq, da emissora France 2 e Christophe Jakubyszyn, da TF1, são motivo de piada pela dificuldade de controlar os candidatos exaltados

“Humor: Nathalie Saint-Cricq”

“Os apresentadores do debate”

 

“Hoje à noite somos todos Nathalie Saint-Cricq”

 

“Alerta de sequestro: procuramos estes dois jornalistas, que não são vistos desde às 21h”

 


16:58 – Le Pen: “Precisamos retomar o controle das nossas fronteiras”, diz a candidata da Frente Nacional quando questionada sobre terrorismo


No primeiro turno, os eleitores franceses dividiram o país geograficamente e ideologicamente. Nas zonas rurais, a candidata da Frente Nacional saiu na frente, enquanto Macron ganhou votos em centros urbanos. Entenda como se dividiu o país. 


16:43 – O debate fica mais ríspido quando o tema é questão fiscal. Macron diz que Le Pen “mente o tempo todo” e que “só fala besteira” quando fala dos números e que a maior parte de suas medidas terão “um custo espetacular” que ela não explica de onde vai sair. Le Pen diz que pretende combater a sonegação e parar de enviar dinheiro à União Europeia. Ela se queixa de que está sendo ofendida por Macron.


16:40 – Segundo o jornal Le Figaro, aos 30 minutos de debate, é Le Pen quem domina os comentários nas redes sociais


16:30 – O debate chega na principal polêmica do segundo turno, o caso da empresa Whirlpool, de Amiens, que está prestes a sair da França e ira pra Polônia, onde os salários são mais baixos. Os dois candidatos visitaram os funcionários no mesmo dia, causando uma grande confusão em pleno pátio da empresa. Macron acusa Le Pen de ter “jogado com a raiva” dos funcionários e no final ter proposto a estatização Whirlpool. Le Pen diz que a resposta de Macron aos funcionários foi, simbolicamente, a seguinte: “a mundialização é assim, não tem o que fazer!”. A posição no caso Whirlpool é um bom resumo das visões de cada candidato.


Macron: “Você demonstrou que não é a candidata de um debate democrático aberto”


Le Pen: “Eu sou a candidata do povo, da França que amamos, de sua cultura”


Le Pen e Macron discordam em promessas para a política interna da França, planos para imigração e até sobre a permanência na União Europeia (UE). Confira as sete principais divergências entre os dois candidatos. 


16:20 – O principal item da reforma do trabalho que Macron quer fazer na França é o “vale o acordo coletivo sobre o legislado”, que também está na essência da reforma trabalhista brasileira. No debate, ele reafirma que quer acordos específicos em cada empresa no caso das grandes. Nas pequenas empresas, um acordo mais amplo, por de setor. Le Pen diz que quer apenas acordos por setor e bate mais em Macron, sempre irônica: “Pelo que entendi, para o senhor, é a lei trabalhista que causa o desemprego!”.


Marine Le Pen não evita polêmicas. O antissemitismo, porém, é o limite que Le Pen não ousa mais ultrapassar. Entenda como a candidata chegou nesta barreira


 

16:15 – Ao contrário dos debates no Brasil, não há limite de tempo para perguntas e respostas. Os candidatos ficam livres para o debate, mas há um relógio marcando o tempo que cada um falou. Ao longo do debate, se alguém estiver com o tempo muito menor, os apresentadores tentam equalizar os cronômetros concedendo mais tempo a um ou a outro. Até o momento, o debate é forte e os dois apresentadores quase não interferem.


16:10 – O debate começa falando de reforma do trabalho e desemprego, principal preocupação dos franceses. Macron fala que quer mais flexibilidade para as empresas e mais segurança para os empregados, através de mais seguro desemprego e formação profissional. Le Pen responde batendo forte com um sorriso irônico: “O senhor foi conselheiro econômico de Hollande por quatro anos e ministro da Economia por dois anos. Se o senhor tem a receita para combater o desemprego, por que você não fez isso no governo? Você fez a única coisa que sabe fazer: ajudar as grandes empresas”. Macron replica dizendo que a carga tributária caiu para as pequenas empresas e ele quer baixar mais.


16:00 –  Previsão acertada: em suas primeiras falas, Marine evoca Hollande e Macron a chama de “herdeira”. Le Pen diz que é “a candidata do povo francês, de sua cultura e de sua civilização” e que neste segundo turno os franceses estão vendo “o verdadeiro Macron”. Ele, por sua vez, diz que “os Le Pen estão há 40 anos disputando eleição” e que ela é “a verdadeira herdeira política” do atual sistema.


15:50 –  A estratégia dos dois candidatos para o debate ainda é um mistério, mas muitos analistas apostam que eles tentarão associar a imagem do oponente em duas figuras pouco apreciadas pelos franceses. Nos últimos dias, Le Pen tem chamado Macron de “Bebê Hollande”, para colar seu nome no impopular presidente socialista. Macron, por sua vez, tem chamado Le Pen de “herdeira”, para colar seu nome no do pai, Jean-Marie Le Pen, considerado racista e xenófobo. Este tipo de provocação deve aparecer ao longo do debate.


15:30 –  A ordem dos temas no debate será a seguinte: Economia (que inclui desemprego, poder de compra, dívida pública e impostos), Proteção Social (ajudas sociais e saúde), Europa e Mundo (diplomacia e defesa), Sociedade (eutanásia, educação, ecologia). No final, ambos deverão dizer que tipo de presidente pretendem ser caso sejam eleitos. O debate é organizado por dois canais, TF1 e France 2, mas a retransmissão é liberada. Pelo menos outros cinco canais já confirmaram que entrarão em rede.


15:20 – Os dois candidatos já estão no estúdio da France Television na cidade de Saint-Denis, norte de Paris. Os camarins e o trajeto que percorrerão dentro da emissora foram pensados de maneira que eles só se encontrem no palco. Em uma declaração rápida na chegada, Macron disse que pretende “demonstrar que o projeto de Madame Le Pen não responde aos desafios do país”. Le Pen disse que espera “que o debate seja útil para os franceses verem que os dois projetos são radicalmente diferentes”.

Eleições na França - Debate Marine Le Pen x Emmanuel Macron - 03/05/2017

Estúdio de TV onde acontecerá o debate dos presidenciáveis franceses Marine Le Pen e Emmanuel Macron – 03/05/2017 (Eric Feferberg/Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Robson La Luna Di Cola

    Que delícia ver o colapso da globalização!!!!!!

    Curtir

  2. Fábio Luís Inaimo

    Um nasceu de cola pra luna, o outro tem o neurônio Hanzoso ,por isso não entenderam nada, é a burrice que atrapalha !

    Curtir