Annan renunciou à mediação na Síria porque não teve o apoio que a causa merecia

O emissário internacional para a Síria, Kofi Annan, afirmou nesta quinta-feira que apresentou sua renúncia como mediador da ONU e da Liga Árabe porque não recebeu todo o apoio que a causa merecia.

“Não recebi todo o apoio que a causa merecia. Há divisões na comunidade internacional. Tudo isso complicou minha tarefa”, afirmou Annan em coletiva de imprensa em Genebra, momentos depois que sua renúncia foi anunciada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Ban anunciou “com profundo pesar” a renúncia de Annan, que foi nomeado para o posto no dia 23 de fevereiro deste ano.

Annan informou a ONU e a Liga Árabe “de sua intenção de não renovar seu mandato, quando este expirar em 31 de outubro de 2012”, informa o texto difundido pela ONU.

O plano de paz de seis pontos do enviado especial para resolver o conflito sírio, que previa, sobretudo, o fim dos combates entre governo e oposição armada e uma transição política, nunca foi aplicado.

Ban exprimiu sua “profunda gratidão (a Annan) por seus esforços corajosos e determinados” e seu “profundo pesar” de vê-lo partir.

Ele afirmou que já iniciou o processo de consultas com o secretário geral da Liga Árabe, Nabil al-Arabi, para “nomear rapidamente um sucessor que possa continuar com os esforços de paz essenciais”.