Advogado de camareira procura outras vítimas de DSK

Ele fez um apelo em TV pública francesa para que mulheres denunciem casos

O advogado americano da camareira do Sofitel de Nova York, que acusa Dominique Strauss-Kahn de tentativa de estupro, fez um apelo nesta terça-feira em um canal de televisão francês a outras mulheres que tenham sido abusadas pelo ex-diretor-gerente do FMI. Kenneth Thompson incentivou moças que moram na França e na África e possam ter sofrido nas mãos de Strauss-Kahn a se manifestar.

O advogado, que é conhecido por conseguir vultosas indenizações em casos civis, apresentou-se publicamente como o novo responsável pelo caso na segunda-feira. “Vamos proteger o direito de falar em seu nome”, disse na rede de televisão pública France 2, referindo-se à cliente, uma moça de 32 anos, nascida na Guiné. A vítima foi descrita por seu advogado como uma mulher simples, trabalhadora, “traumatizada”, mas “ansiosa por defender a sua dignidade”.

Julgamento – Na última segunda-feira, Dominique Strauss-Kahn se declarou inocente das acusações de crimes sexuais em uma curta audiência, no tribunal de Nova York. No mesmo dia, foi determinado que ele seja julgado perante um júri popular e com a camareira como uma das testemunhas.

Caso – O ex-diretor-gerente do FMI é acusado de ter abusado sexualmente da camareira em 14 de maio. Há, contra ele, sete acusações, incluindo tentativa de estupro, ato sexual criminoso, cárcere privado e abuso sexual.

Strauss-Kahn, que agora vive em prisão domiciliar em um luxuoso apartamento em Manhattan, era visto como o candidato favorito do Partido Socialista às eleições presidenciais francesas de 2012. O escândalo, porém, encerrou suas aspirações eleitorais e o forçou a renunciar ao cargo no FMI.

(Com agência France-Presse)