Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Adolescente ligou para os avós antes de balear crianças nos EUA

O atirador de 14 anos matou o pai, antes de abrir fogo em uma escola na Carolina do Sul. O jovem foi detido pela polícia

Pouco antes de abrir fogo em uma escola primária em Townville, Carolina do Sul, nos Estados Unidos, o atirador de apenas 14 anos ligou chorando para os avós, informou a polícia local. Exatamente um minuto depois, serviços de emergência registraram a chamada vinda de uma funcionária da escola, descrevendo um tiroteio. O atirador feriu uma professora e duas crianças no pátio do colégio, na quarta-feira.

De acordo com a emissora de TV WYFF, a avó do jovem, que não foi identificado por ser menor de idade, relatou que não conseguiu entender o que o neto estava falando e, preocupada, saiu para procurá-lo. Ela foi até a casa onde o adolescente morava com o pai, Jeffrey Osborne, de 47 anos. Ao invés de encontrar o garoto, viu Jeffrey morto com um tiro. A polícia suspeita que o jovem tenha baleado o pai antes de ir até a escola.

Investigações iniciais apontam que o adolescente chegou dirigindo uma caminhonete Dodge Ram no terreno da Townville Elementary School, que fica a pouco mais de 3 km de sua casa. Por volta das 13h, no horário local (14h, em Brasília), o menino pulou uma cerca e chegou ao pátio do colégio, onde abriu fogo com um revólver contra estudantes.

Leia também:
Tiroteio em escola nos EUA deixa ao menos duas crianças feridas
Nove pessoas ficam feridas em tiroteio em Houston, EUA

O atirador feriu um dos alunos na perna e outro no pé, além de atingir o ombro de uma professora, contou o chefe de polícia do condado de Anderson, Garland Major. O adolescente foi parado pelo bombeiro voluntário Jamie Brock, o primeiro a responder à chamada de emergência vinda da escola, e depois foi detido por policiais.

Segundo a rede CNN, um dos alunos baleados está em estado no crítico no hospital. O outro menino e a professora tiveram os ferimentos tratados e foram liberados ainda na quarta-feira. A polícia informou que a motivação do atirador ainda é desconhecida e que não há evidências de terrorismo ou de alguma relação do adolescente com a escola.