Acidente com barco de imigrantes ilegais deixa 12 mortos no Egito

Embarcação virou após deixar a cidade de Alexandria. Outras 116 pessoas foram resgatadas pelas autoridades e encaminhadas a uma delegacia local

Um acidente com uma embarcação de imigrantes ilegais deixou ao menos doze mortos nas proximidades da cidade portuária de Alexandria, no Egito, nesta sexta-feira. Segundo a BBC, as equipes de resgate agiram rapidamente e resgataram 116 pessoas que estavam no barco. O chefe de segurança local, Amin Ezzeddin, disse que quarenta sobreviventes eram provenientes da Síria, 72 da Palestina e quatro do Egito. Eles foram encaminhados a uma delegacia de Alexandria.

Leia também:

Primeiro-ministro italiano e presidente da Comissão Europeia são vaiados em Lampedusa

O incidente ocorreu aproximadamente uma semana depois do naufrágio de outra embarcação de imigrantes ilegais no Mediterrâneo. O navio pesqueiro que se dirigia à Ilha de Lampedusa, na Itália, afundou após um incêndio causar pânico no convés. As autoridades encerraram as buscas na quinta-feira, após 309 corpos serem encontrados. No entanto, sobreviventes do naufrágio afirmam que mais de 500 pessoas estavam a bordo. Como 155 pessoas foram resgatadas com vida, ainda haveria desaparecidos. “Dentro do pesqueiro naufragado não há mais corpos. As buscas prosseguirão nas zonas externas”, disse uma fonte da guarda costeira.

Além da tragédia em Lampedusa, a rede BBC informou que outro barco de palestinos e sírios se acidentou na costa de Alexandria há dez dias. De acordo com o órgão da ONU responsável por imigração, desde agosto, mais de 3 400 refugiados tentaram fazer a travessia ilegal do Egito à Europa. A maioria dos imigrantes que tentam cruzar essa região do Mediterrâneo é proveniente da Síria e Palestina, regiões assoladas por conflitos internos.