'Dois polos não tão afinados na equipe econômica', diz Lauro Jardim

VEJA desta semana traz a informação de que Dilma e Lula poderiam ter interrompido o Petrolão, se quisessem. No dia 29 de setembro de 2009, a então ministra da Casa Civil, hoje presidente, foi avisada por Paulo Roberto Costa que o Tribunal de Contas da União havia recomendado ao Congresso a imediata paralisação de três grandes obras da estatal. O colunista Lauro Jardim diz que, até segundo ordem, Joaquim Levy ("liberal clássico") e Nelson Barbosa ("ponto intermediário entre o mercado e o dilmismo puro") vão ser os cabeças da equipe econômica a partir de 2015.

Por veja.com - Atualizado em