Brasil

 

29 de Julho de 2013

 

Polícia

O massacre do Carandiru

Em dois de outubro de 1992, a Polícia Militar de São Paulo invadiu a Casa de Detenção do Carandiru para conter uma rebelião. Em meia hora, 111 presos foram mortos. A seguir, as cenas da chacina:

  • Vista aérea de um dos pavilhões do complexo penitenciário do Carandiru com lençóis brancos nas janelas pedindo paz após a invasão da PM. Cerca de 27 mil presos se rebelaram simultaneamente em 24 presídios de 19 cidades paulistas. O motim, o maior do país, começou no complexo penitenciário do Carandiru

    Evelson de Freitas/Folhapress

  • Movimentação policial em frente à Casa de Detenção do Carandiru, na zona norte de São Paulo, durante rebelião de presos, em 02/10/1992

    AE

  • Presos nas janelas da Casa de Detenção de São Paulo, com faixa de protesto pela morte de 111 presos do Pavilhão 9, em 05/10/1992

    Andre Penner

  • Ferros utilizados como armas pelo presos durante o confronto com os policiais no massacre do Carandiru, em outubro de 1992

    Antonio Milena

  • Pavilhão 9 da Casa de Detenção de São Paulo, em outubro de 1992

    Antonio Milena

  • Presos no Pavilhão 9 do Carandiru, em outubro de 1992

    Antonio Milena

  • Corpos de parte das vítimas do massacre do Carandiru no Instituto Médico Legal (IML), em 04/10/1992

    Epitácio Pessoa/AE

  • Movimentação policial em frente à Casa de Detenção do Carandiru, na zona norte de São Paulo, durante rebelião de presos, em 02/10/1992

    AE

Foto 0 / 8

Ampliar Fotos
Tags
 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados