Consumo
Onde comprar as melhores bebidas da cidade
 

Casas especializadas, delicatessens
e hipermercados oferecem de cervejas
artesanais a vinhos finos importados

Natália Boere

Levantar um drinque com um champanhe francês, um vinho da Nova Zelândia, um uísque escocês ou mesmo uma cachaça mineira de qualidade está mais fácil em Salvador. A capital vive o crescimento do número de lojas especializadas em bebidas finas – e o conseqüente aumento de consumo desses produtos. O fenômeno é recente. Há cinco anos, as poucas casas do ramo que existiam em Salvador atendiam um público restrito, com o paladar já treinado em viagens ao exterior ou a capitais como São Paulo e Rio de Janeiro. A instalação de casas especializadas mudou esse cenário e colabora para aguçar o paladar dos soteropolitanos, criar uma cultura em torno das bebidas finas e fazer surgir um público consumidor muito mais exigente.

O vinho é considerado o principal combustível desse fenômeno e a criação da seção Bahia da Associação Brasileira de Sommeliers, em 2001, seu divisor de águas. "A iniciativa reuniu os apreciadores do vinho, que divulgavam a bebida", diz Juan Magliarella, consultor de vinhos da Ana Import e um dos fundadores da ABS/BA. Naquela época, Magliarella começou a receber convites para dar consultoria e suporte técnico a vários empresários que se interessaram em investir no segmento de bebidas.

O consultor considera que a delicatessen Perini também tem mérito na popularização dos vinhos finos. "Eles resolveram investir na bebida quando o mercado ainda era pouco desenvolvido", diz. O diretor administrativo da Perini, André Faro, relata que ao decidir "comprar a missão" de implantar a cultura do vinho na cidade, em 1995, a diretoria da empresa fez viagens a São Paulo e às principais regiões vinícolas do mundo para pesquisar as novas tendências e trazer rótulos variados e de qualidade para comercializar na delicatessen.

A maior oferta de bons vinhos e a chegada de filiais de grandes redes de importadores de bebidas, como a Expand, trouxeram a reboque os cursos de enologia e enogastronomia. Geralmente oferecidos pelas próprias lojas, eles colaboram para difundir a cultura de vinhos na cidade e formar um público consumidor mais especializado. É o caso do engenheiro elétrico Chung Liu e da produtora de vídeo Carolina Liu. Depois de fazer um curso básico, o casal se empolgou com a experiência e partiu para os cursos temáticos, onde se ensinam as peculiaridades de cada região vinícola do mundo. "Como os bons rótulos custam caro, é importante entender de vinhos para aprender a reconhecer o melhor custo-benefício", justifica Liu.

A especialização dos consumidores não é estratégia apenas dos distribuidores e das lojas de vinhos. Os produtores de cerveja também estão investindo nessa área. A AmBev tem o projeto Sociedade da Cerveja, com o objetivo de fornecer aos clientes informações sobre a cultura e o consumo da bebida. Por meio de um site ou via e-mail os clientes recebem, por exemplo, sugestões do melhor tipo de cerveja para determinado prato. Paralelamente, a AmBev tem lançado versões premium de cerveja, como a feita de trigo e uma versão escura, aumentando as opções do consumidor para além da tradicional pilsen.

 

ONDE COMPRAR

Adega Kylix
Estrada do Coco, km 6, loja 157, Shopping Estrada do Coco, Lauro de Freitas,
3379-4708. 10h/21h (seg. a sáb.); e 13h/20h (feriados). www.adegakylix.com.br.
Atentos à carência de uma loja especializada em bebidas finas em Lauro de Freitas, os proprietários, Soraya Barretto e Julian Mubarack, resolveram abrir um empreendimento do ramo para quem mora na região e prefere não se deslocar até Salvador para fazer compras. São eles próprios que atendem os clientes, para pegar sugestões e descobrir as preferências de cada um. A especialidade da casa é o vinho: são 400 rótulos, de dez países. Mas há ainda uísques, licores, cachaças, espumantes, além de queijos e carpaccios. Todas as sextas, há degustação enogastronômica na sala para eventos, a preços que variam de R$ 20,00 a R$ 25,00 por pessoa. Os interessados devem fazer reserva por telefone. A loja também monta adegas climatizadas sob encomenda.

Ana Import
Avenida Euclides da Cunha, 170, Graça,
3337-1111. 14h/22h (seg. a sex.); e 10h/18h (sáb.). www.anaimport.com.br.
A casa se propõe a oferecer uma imersão no mundo dos vinhos. Ao todo, são 800 rótulos de quinze países, a preços que variam entre R$ 23,00 e R$ 7 000,00. No wine bar, pode-se degustar o vinho comprado na temperatura adequada, em mesas à luz de velas, ao som de DVDs de jazz, blues e MPB. O cardápio lista opções variadas de petiscos. O auditório tem capacidade para cinqüenta pessoas e infra-estrutura para cursos, palestras e lançamentos da bebida. Para os interessados em uma leitura rápida e esclarecedora, há revistas especializadas à disposição. Além de vinhos, a loja vende champanhes, azeites, peças relacionadas à enogastronomia e cosméticos importados.

Casa dos Vinhos
Avenida Jorge Amado, quadra 15B, lote 117, Imbuí,
3231-5848. 9h/19h30 (seg. a sáb.).
A loja oferece mais de 2 500 rótulos de vinho, de doze países. Uma adega climatizada armazena 20 000 garrafas. Nas prateleiras, os preços variam de R$ 10,00 a R$ 800,00. A sala de eventos, com mesas e retroprojetor, serve de espaço tanto para cursos ministrados por enólogos estrangeiros de renome quanto para degustações entre clientes cadastrados, geralmente gratuitas. Além de vinhos, a loja vende uísques, vodcas, conhaques, licores, espumantes e também alimentos importados, como chocolates, massas, molhos, produtos em conserva e queijos. A novidade é um freezer com frutos do mar.

Companhia do Vinho
Avenida Antônio Carlos Magalhães, 1298, loja 2, Shopping Cidade, 3359-5867. 9h/19h (seg. a sex.); e 9h/17h (sáb.).
A casa vende 1 000 rótulos de vinho, de dez países. Os preços variam entre R$ 11,00 e R$ 450,00. Entre os mais requisitados estão os da vinícola chilena Viu Manent, cujas garrafas saem por R$ 69,92, da reserva, e R$ 44,50, da linha varietal. Nas prateleiras, há também uísques, espumantes, licores, conhaques, além de produtos relacionados ao consumo de bebidas, como taças e copos de cristal, cantis e abridores de garrafa. Toda semana, há um vinho ou espumante em destaque, para degustação dos clientes na loja.

Expand
Praça dos Tupinambás, 2, loja 14, Shopping Trapiche Adelaide, Comércio, 3326-3464. 10h/22h (seg. a sex.); e 10h/14h e 18h/22h (sáb.). Avenida Sete de Setembro, 3959, loja 3, Vila da Barra, Barra, 3264-5348. 12h/22h (seg. a sex.); e 10h/14h e 18h/22h (sáb.). www.expand.com.br.
Por estar localizada no mesmo empreendimento dos restaurantes Sato e Pereira, a unidade da Barra compartilha o cardápio de ambos e serve petiscos e pratos nas mesas do lugar, com o diferencial de cobrar preço de loja pelas bebidas. Para os amantes do vinho, há uma variedade de 700 rótulos. Um dos mais vendidos é o chileno Norton, a R$ 33,00 a garrafa. No mezanino, há um salão para eventos, com capacidade para vinte pessoas, onde são ministrados cursos periódicos. Além de vinhos, a casa vende proseccos, conhaques, acessórios relacionados a bebidas, charutos e também produtos em conserva, frutas secas e massas importadas.

Mercato di Vino
Alameda das Algarobas, 85, loja 14, Mediterrâneo Center, Caminho das Árvores, 3351-2730. 8h/18h (seg. a sex.); e 9h/13h (sáb.).
Representante oficial da vinícola gaúcha Miolo na Bahia. Há dois anos, a loja passou a vender também vinhos importados. Hoje, oferece mais de 100 rótulos, de dez países, com preços que variam entre R$ 13,00 e R$ 249,00. Os principais clientes da casa são hotéis e restaurantes, mas as vendas no varejo também são bastante representativas. Há a opção de entrega em domicílio, sem custo adicional. Tem uma sala para eventos, onde são ministrados cursos e realizadas degustações cegas entre profissionais da área e clientes cadastrados.

O Colon
Rua Visconde de São Lourenço, 12, Campo Grande,
3329-3012. 10h/23h (seg. a sex.); 10h/21h (sáb.); e 10h/16h (dom.).
A casa é a mais antiga loja de bebidas da cidade, aberta em 1839. Hoje, é uma grande mercearia e vende também bacalhau, caviar, pernil, queijos e salames, nacionais e importados. Nas prateleiras, há uísques, licores, conhaques e uma grande variedade de vinhos. São 1 500 rótulos, provenientes de vinte países, cujas garrafas custam entre R$ 6,00 e R$ 2 000,00. Quem preferir degustar no local pode sentar-se nas mesas do salão e pedir um dos petiscos do cardápio. Os vinhos também são vendidos em taças, a partir de R$ 2,00.

O Cravinho
Praça Quinze de Novembro, 3, Terreiro de Jesus,
3322-6759. 11h/23h (seg. a dom.). www.ocravinho.com.br.
Com a proposta de popularizar a venda de infusões em Salvador, o proprietário, Julival Reis, abriu um pequeno bar há dezoito anos. Com o tempo, o local foi aumentando de tamanho e hoje já tem três ambientes. Continua vendendo as infusões: são 36 tipos, conservadas em barris de madeira para preservar o sabor da cachaça. Mas agora possui também uma cachaçaria, com quarenta rótulos de várias partes do Brasil, cujas garrafas custam entre R$ 10,00 e R$ 40,00. Destaque para a cachaça Serra das Almas, proveniente da Chapada Diamantina, orgânica em todas as fases da produção (R$ 20,00 a garrafa). Oferece degustação gratuita.

Point da cachaça
Praça Gago Coutinho, s/n°, Aeroporto Luís Eduardo Magalhães, Lauro de Freitas,
3204-1328. 8h/22h (seg. a dom.).
A loja é um quiosque em forma de barril, localizado no centro da alameda do Aeroshopping, e abre nos 365 dias do ano. Os clientes são basicamente turistas, principalmente estrangeiros, mas também moradores de Lauro de Freitas e redondezas. Nas prateleiras, existem 240 tipos de cachaça, provenientes dos mais diversos estados brasileiros. Os preços variam de R$ 15,00 a R$ 650,00. A mais cara é a garrafa da cachaça Havana, relíquia mineira, com apenas quatro exemplares à venda no local.

Pro Nobis
Rua Recife, 120, Jardim Brasil, Barra,
3245-9911. 17h/0h (ter. a dom.). www.pronobiscachacaria.com.br.
Há quinze anos, o italiano Luca Otaviani veio para a Bahia como chef de cozinha e acabou descobrindo as maravilhas da cachaça. Para entender mais do assunto, foi a Minas Gerais conhecer alguns alambiques e, quando voltou, resolveu abrir uma empresa de distribuição da bebida. No início deste ano, o negócio virou uma cachaçaria. As paredes do local são tomadas por cachaças, de 300 tipos, provenientes de Minas Gerais, da Paraíba e do Rio de Janeiro. Destaque para a cachaça Magia de Mulher, que faz sucesso entre o público feminino por ter metade do teor alcoólico da convencional e ser envelhecida em bálsamo de rosa. A garrafa sai por R$ 25,00.

Tannat
Avenida Centenário, 2883, loja 57, Vitória Center, Chame-Chame, 3235-8006. 8h30/19h (seg. a sex.); e 8h30/18h (sáb.).
Após nove anos mantendo uma empresa de distribuição de bebidas, o proprietário, Naldec Pereira, resolveu montar uma loja de varejo, aberta no fim do ano passado. O foco da casa é o vinho: são 300 rótulos, provenientes de dez países. Mas as prateleiras abrigam também uísques, licores, champanhes, aguardentes, além de chocolates suíços e produtos em conserva. As garrafas de vinho custam de R$ 9,00 a R$ 300,00. Já as de champanhe variam entre R$ 170,00 e R$ 780,00.

Tio Garcia
Rua Odilon Santos, 205, loja 13, Shopping Rio Vermelho, térreo, Rio Vermelho,
3334-1269. 9h/22h (seg. a sáb.).
É uma das mais antigas lojas do segmento de bebidas na cidade, com dez anos de funcionamento. Oferece 300 rótulos de vinho, nacionais e importados, vendidos a preços que variam de R$ 8,00 a R$ 180,00. Destaque para o chileno Concha y Toro, que sai a R$ 19,90 a garrafa. A partir do fim de abril, queijos e carnes também vão estar à venda no local. A casa dispõe de um sommelier e tem dois andares: no térreo, ficam expostas as bebidas e, no mezanino, há um espaço para degustações enogastronômicas. Os eventos são promovidos entre os clientes cadastrados para apresentação de novos produtos.

Tio Sam
Avenida Otávio Mangabeira, 3279, Jardim de Alah,
3341-3011. 8h/19h (seg. a sex.); e 8h/14h (sáb.). Avenida ACM, s/nº, Praia do Forte, 3676-0272. 9h/20h (seg. a sex.); e 9h/18h (sáb. e dom.). www.tiosambebidas.com.br.
Além de atender o público varejista, a casa fornece bebidas a hotéis e restaurantes. Nesse caso, uma equipe de dez vendedores externos se encarrega de registrar os pedidos in loco. A loja oferece uísques, licores, cachaças, vodcas e espumantes, mas o foco são os vinhos. Ao todo, são 1 500 rótulos, entre nacionais e importados, vendidos a preços que variam de R$ 10,00 a R$ 600,00. Destaque para as linhas Château Los Boldos e Casa de Santa Vitória, distribuições exclusivas da casa. Na sala de eventos, com capacidade para vinte pessoas, são realizados cursos e degustações eventuais.

Veritas Emporium Wine Bar
Avenida Tancredo Neves, 1632, loja 20, térreo, Salvador Trade Center, Iguatemi, 3113-2720. 9h/22h (seg. a sex.); e 9h/14h (sáb.).
A loja tem uma proposta diferenciada: oferece 400 rótulos de vinho e dá aos clientes a opção de comprar a bebida e tomá-la no próprio local. A garrafa escolhida pode ser resfriada na hora e a bebida, degustada em um wine bar no mezanino, ao som de DVDs de jazz, blues e MPB, e com variedades de tira-gostos. Devido à localização, o lugar é muito freqüentado por executivos na happy hour. Possui um clube de vinhos. Por uma taxa semestral de R$ 75,00, os sócios são convidados para degustações periódicas (muitas delas gratuitas) e têm direito a descontos nos produtos e nos cursos ministrados na casa. Além de vinhos, a loja vende uísques, licores, champanhes, espumantes e também produtos em conserva, antepastos, geléias e frios.

 

DELICATESSENS

A Francesa
Avenida Tancredo Neves, 148, loja 13, Shopping Iguatemi, 2º piso, Iguatemi, 3450-4558. 9h/22h (seg. a sáb.); e 14h/20h (dom.).
A delicatessen já trabalhava com bebidas desde 1998, mas, há três anos, destina um balcão exclusivo para uísques, proseccos, licores, vodcas, cervejas e mais de cinqüenta rótulos de vinho, de dez países. Os mais vendidos são os chilenos, que custam em média R$ 25,00.

Albani
Rua Bahia, 23, Pituba, 3248-2011. 6h/22h (seg. a dom.). www.albani.com.br.
A loja, que existe há quinze anos, já vendia bebidas. Mas, com a recente reforma, a seção ganhou um cuidado especial: foi ampliada e agora tem uma adega com mais de 100 rótulos de vinho, cujas garrafas são vendidas a preços que variam entre R$ 7,90 e R$ 66,90. Além dos vinhos, a delicatessen vende também uísques, proseccos, destilados, licores e cervejas nacionais e importadas.

Perini
Avenida Vasco da Gama, 3051, Vasco da Gama, 3203-0062. 6h30/22h (seg. a sáb.); e 6h30/14h (dom.). Rua Maranhão, 64, Pituba, 3346-9999. 6h/22h (seg. a dom.). Rua Miguel Burnier, 24, Barra, 3237-8888. 6h30/22h (seg. a sáb.); e 6h30/14h (dom.). www.perini.com.br.
Aberta em 1964, a loja começou a dar mais atenção à seção de bebidas em 1995 e hoje oferece uma variedade de 1 200 rótulos de vinho e 350 de destilados. Os preços variam de R$ 4,99 (o vinho Country Wine) a R$ 9 545,00 (o Johnnie Walker Blue Label Baccarat). Em quase todos os fins de semana, a loja promove degustações de vinhos com tira-gostos. Mensalmente, é ministrada uma série de cursos com foco principal na enogastronomia no espaço Ateliê, na unidade da Pituba. Os preços por pessoa vão de R$ 50,00 a R$ 80,00.

Superpão
Avenida Paulo VI, 986, Pituba,
3359-4035. 6h/22h (seg. a sáb.); e 7h/20h (dom. e feriados). www.superpaomaster.com.br.
A delicatessen tem 31 anos e, desde a segunda reforma, em 1984, dedica atenção especial às bebidas. Em 2004, a seção ficou ainda maior e mais organizada, com a distribuição dos vinhos por países. Ao todo, são sessenta rótulos, que custam entre R$ 7,00 e R$ 300,00. A garrafa mais vendida é a do chileno Santa Rita, R$ 29,00. Pelo menos uma vez por mês, a loja promove degustação de vinhos e tira-gostos. Nas prateleiras de bebida, há também uísques, licores, espumantes, aguardentes e cervejas nacionais e importadas.

 

SUPERMERCADOS

Hiper Bompreço
Avenida ACM, s/nº, Iguatemi, 3352-4600. 7h/0h (seg. a sáb.); e 7h/22h (dom.). Avenida Reitor Miguel Calmon, 381, Garibaldi, 3336-0804. 7h/0h (seg. a sáb); e 7h/20h (dom.). www.bompreco.com.br.
O supermercado tem uma seção de bebidas que merece destaque. São mais de 720 itens, entre uísques, vodcas, licores, conhaques, espumantes e vinhos, vendidos a preços bem variados, de R$ 2,99 (o Vinho do Frei) a R$ 507,22 (o Johnnie Walker Blue Label). Os vinhos ganham atenção especial: são 500 rótulos, organizados por países – cada um identificado pela bandeira, para facilitar a procura do consumidor. Em datas festivas, a loja costuma promover degustações e, no mês de julho, o Festival Queijos & Vinhos, evento que traz especialistas em enologia e gastronomia para promover palestras e dar orientações aos clientes. Durante o período, as garrafas da bebida, nacionais e importadas, são vendidas com até 30% de desconto.

Extra
Rua Valdemar Falcão, 828, Vasco da Gama,
3330-3800. 24h. Avenida Luís Viana Filho, 3056, Paralela, 3206-6200. 24h. www.extra.com.br.
Além de uísques, licores, vodcas, conhaques, cachaças e tequilas, o supermercado vende também saquê. A garrafa do Hakushika, importado do Japão, sai por R$ 46,90. Há também mais de 200 rótulos de vinho, provenientes de países como Portugal, França, Itália, Chile, Argentina, Uruguai e África do Sul, além dos nacionais. O mais vendido é o argentino Marques de la Colina, que sai a R$ 7,89.

Hiperideal
Avenida Otávio Mangabeira, 10241, Piatã, 3367-3758. 7h/22h (seg. a dom.). www.hiperideal.com.br.
A loja tem uma adega com bandeiras de países, para indicar a procedência dos vinhos e facilitar a procura dos clientes. São mais de 300 rótulos, cujas garrafas custam entre R$ 3,50 e R$ 149,00. Quinzenalmente, cerca de dez vinhos entram em promoção e saem com até 50% de desconto. Duas vezes por ano, o supermercado promove a Quinzena de Queijos & Vinhos, com exposições, degustações com profissionais especializados e preços promocionais.

 

Sérgio Valadares

Fotos Inácio Teixeira/Coperphoto

Quem é: barman, professor do curso de especialização em garçom do Senac
Lojas que recomenda: Tio Garcia e A Francesa
Por quê: "A Tio Garcia oferece uma grande variedade de bebidas e a A Francesa é uma boa saída para horas de aperto. Foi lá que eu achei uma garrafa do licor Mandarinetto, quando eu tinha urgência e não encontrava em nenhum outro lugar da cidade"
Dica do especialista: "Frutas muito cítricas, como limão e laranja, não devem ser misturadas com leite condensado ou creme de leite.
A mistura vira nata e fica com gosto ruim"

 

Josilvaldo Silva

Quem é: sommelier do Armazém Santa Maria
Lojas que indica: Perini e Ana Import
Por quê: "A Perini tem grande variedade de rótulos, muitos deles exclusivos, como o vinho francês Château Pétrus, o mais famoso do mundo. A Ana Import é uma das mais completas, pois tem profissionais especializados para orientar os clientes e excelente estrutura"
Dica do especialista: "Quem está começando a apreciar vinhos pode optar pelos feitos com a uva merlot, que são mais suaves"

 

A maior carta de vinhos da cidade

Armazém Santa Maria

 

O Armazém Santa Maria oferece 350 rótulos de vinho, de doze países, entre tintos, brancos, rosados, de mesa, finos, espumantes e licorosos. Não é apenas a maior carta de vinhos da capital como também a melhor, segundo o júri de VEJA Salvador – O Melhor da Cidade. A seleção das bebidas é feita cuidadosamente pelo enólogo João Cláudio Centenaro, proprietário da casa. Ele costuma pesquisar novas tendências e rótulos em viagens e renova a carta duas vezes por ano. A adega do restaurante tem capacidade para 5 000 garrafas, mantidas a uma temperatura média de 17 graus. Os clientes podem visitar a adega, que é subterrânea e tem decoração charmosa. A casa vende cerca de 2 000 garrafas de vinho, a maioria chilenos e argentinos.

Armazém Santa Maria Adega & Bar – Parque Costa Azul, Costa Azul, 3341-3572. 12h/0h (dom. a qui.); e 12h/1h (sex. e sáb.). www.armazemsantamaria.com.br.

 

Julival Reis

Quem é: cachacier e dono da cachaçaria do bar O Cravinho
Lojas que indica: Point da Cachaça e Pro Nobis
Por quê: "O Point ganha pontos pelo atendimento caprichado e a Pro Nobis tem uma variedade muito boa de bebidas"
Dica do especialista: "Cada tipo de madeira do barril em que a cachaça é envelhecida dá um caráter diferente à bebida. O carvalho, por exemplo, deixa a cachaça com um sabor próximo ao do uísque"

 
voltar