Os livros mais vendidos / Trechos de livros

Trecho de Deixe os Homens aos seus Pés de Marie Forleo


CAPÍTULO 1

Irresistibilidade

Dê o primeiro passo acreditando no que está fazendo. Você não precisa ver a escada. Apenas dê o primeiro passo.
Dr. Martin Luther King, Jr.

Você já sentiu como se tivesse nascido para ser grande? Quando era uma garotinha, você sabia que tinha algo especial para fazer no mundo? Muitas de nós perdemos o contato com os nossos extravagantes sonhos femininos de grandeza para adotar uma aspiração pelo sucesso masculino. Sem nem mesmo saber disso, nós assumimos uma missão: provar que podemos fazer qualquer coisa tão bem, ou melhor, que os homens. Nós estamos tão desesperadas em alcançar o que imaginamos que nos tornará iguais e felizes (uma carreira de sucesso, um casamento, família, filhos) que nos esquecemos de quem realmente somos: seres brilhantes, sexys e mágicos como nenhum outro.

Nós esquecemos que o nosso poder não está em competir com os homens ou tentar ser como eles, mas em incorporar nossas forças naturais e femininas de compaixão, encantamento e ternura. Nós temos o poder de cura intuitiva e somos mestras no amor. Nossos corações são repletos de emoção e nós tecemos uma ampla teia para a verdade espiritual. Nossa sexualidade e malícia femininas inspiram, animam e fortalecem. Nós somos seres admiráveis!

O mundo está extremamente carente de mulheres irresistíveis: mulheres que são animadas, vivas e expressivas – independentemente das circunstâncias; mulheres que não têm medo de falar as suas verdades ou dizer o que acreditam; mulheres que se sentem à vontade por serem inteligentes, sensuais e compassivas, tudo ao mesmo tempo; mulheres que não competem, não se humilham, ou não lutam contra os homens (ou outras mulheres), mas que veem cada um como eles realmente são – seres humanos companheiros que viajam juntos em busca de uma grande vida, à procura de amor.

Vamos encarar isso de frente: amor é o que nós realmente queremos. Embora nos esforcemos para ter roupas e um cabelo bonito, um corpo em forma, um bom relacionamento, o que realmente queremos é saber se alguém nos ama, assim o resto fica tudo bem.

Quer saber? Você é amada e está bem agora. Tudo mais é uma ilusão. Preocupação, remorso e ansiedade são construções evocadas pelas nossas mentes para nos distrair da percepção aterrorizante que está por trás de tudo isso: nós simplesmente estamos bem. Quando relaxamos e aceitamos que está tudo bem conosco, libertamos a nossa irresistibilidade. Nossos corações voltam a sonhar e nossos espíritos ficam livres para voar novamente. Sem tanta energia estagnada nessas neuroses imaginadas, temos tempo e energia para nos empenhar de novo no propósito de fazer uma diferença no mundo. Você é uma mulher extraordinária! Você tem um propósito neste mundo, então não adianta se esconder atrás de uma história fictícia de que você está arrasada ou incompleta, porque você não está. O mundo precisa de você. Ele precisa daquele algo especial que você sabia que tinha desde que era apenas uma garotinha.

Reivindicar a sua irresistibilidade é a chave para usar todo seu potencial como mulher e ser humano. Esse é o segredo para conseguir causar o impacto que você deseja. As mulheres que incorporam a sua irresistibilidade tocam o coração do mundo.

Aproveite completamente suas energias femininas assim como as suas energias masculinas. Nós todas temos um pouco de cada e integrá-las de forma equilibrada é a chave para libertar nosso potencial completo como ser humano. Siga tanto quanto lidera. Ajude tanto quanto comanda. Dance com o fluxo sempre mutante de energias masculinas e femininas dentro de você e permita que a plenitude de sua glória como uma mulher irresistível seja exibida em tudo o que você faz. Seu lado feminino é mais atraente do que você possa imaginar. Sua ternura e vulnerabilidade são magníficas. Você é uma mulher irresistível! Tenha orgulho disso. Esteja você na sala da diretoria da empresa, no quarto, no campo de batalha ou no mercado, nosso mundo necessita de mulheres irresistíveis agora mais do que nunca. Nossos filhos necessitam delas. Nossos negócios necessitam delas. Nossas escolas necessitam delas. Nossos governos necessitam delas. O mundo precisa que você reivindique seu brilho e o compartilhe. Permita que a sua vida seja um exemplo de quão glorioso é ser uma mulher irresistível.

A Irresistibilidade tem por base uma vida vibrante, relacionamentos mágicos e, claro, ser autenticamente irresistível. O propósito deste capítulo é abrir a nossa mente para novas possibilidades e maior consciência pessoal. Consciência é a chave que lhe permite parar automaticamente de fazer coisas para afastar os homens de você e naturalmente começar a fazer coisas que permitam ter relacionamentos satisfatórios. Domine isso e você notará que todos os homens, mulheres, crianças, animais de pequeno ou de grande porte, montes de pó ou qualquer coisa que se mova acharão praticamente impossível resistir a você.

Sua irresistibilidade está no momento presente

Respire fundo e deixe os ombros caírem para trás. Relaxe o maxilar e aproveite o momento. Permita-se simplesmente estar aqui. Esqueça a sua lista de coisas para fazer. Livre-se dos pensamentos a respeito do que você vai fazer para o jantar ou os arrependimentos pelo que você não conseguiu fazer no trabalho hoje.

Sua habilidade de ser completamente irresistível e deixar todos os homens aos seus pés está no momento presente. Quando você está completamente presente (ou seja, quando toda a sua atenção está voltada para “o agora”), você acessa a fonte infinita de beleza e vivacidade inerente a toda criatura vivente no planeta. Você se torna integrada à inteligência cósmica e à magnificência atemporal de tudo que existe.

Em um nível psicológico, estar presente significa que você interrompe o ócio mental e empenha sua mente, corpo e alma ativamente em qualquer coisa que esteja fazendo neste momento. Você liberta os pensamentos sobre o passado e as preocupações sobre o futuro e volta toda a sua atenção para qualquer coisa ou pessoa que esteja diante de você neste momento. No contexto deste livro, estar presente significa direcionar a sua total e completa atenção a “ouvir” as palavras nas páginas assim que as ler.

Abstenha-se da tentação de comparar este livro com outros de autoajuda que você tenha lido, ou de ficar se perguntando se ele funcionará ou não para você. Todo esse caráter mental afasta você do momento em que está vivendo e a impede de desfrutar da sua irresistibilidade. Ouvir essa conversa que você tem consigo mesma é o que, a princípio, faz com que você se perca e fique confusa.

Aqui está uma pitada de sabedoria que pode transformar a sua vida em um instante. Pronta? Você não é a sua mente.

Você tem uma mente, mas você não é a sua mente. Você também não é a conversa que você tem consigo mesma mentalmente. Você pode estar pensando: “Que conversa? Do que ela está falando?”. Daquela conversa!

Claro que você deve estar pensando: “Muito bem, então quem sou eu?”. Você é um ser glorioso por trás da sua mente. Você é a consciência, a observadora, a ouvinte. Você é a consciência inteligente, elegante, generosa e adorável que sabe exatamente do que estou falando agora.

Saiba de uma coisa: sua irresistibilidade é maior quando você está presente e livre de sua tagarelice mental. Isso acontece porque a plenitude e a glória da sua existência estão sendo demonstradas. Sua existência é seu “eu” sublime e a maior expressão de quem você é. Ele é atemporal, belo, cheio de amor, compaixão, bondade e sensualidade. Ele não precisa de nada e não procura aprovação. Isso é o que você realmente é acima de toda preocupação, inquietação e medo.

Sua mente, por outro lado, é uma máquina baseada no medo passado/futuro que está relacionado primariamente com a sobrevivência. Ela está sempre comparando, analisando, esquematizando e falando com você sobre o que precisa fazer para poder se tornar melhor, mais bonita, ter mais sucesso e ser mais atraente. A mente geralmente não apoia a sua irresistibilidade. Ela gosta de apontar os seus erros e o quanto você é má, sem atrativos, gorda, idiota, velha ou inconveniente. (A propósito, nenhuma dessas coisas que a sua mente fala é verdadeira; mas, a menos que você se torne consciente de que você não é a sua mente, você acredita que é verdade).

A verdade real é que não importa quantos erros você cometeu no passado ou quantos relacionamentos não funcionaram. E também não importa quanto você pesa, quantos anos você tem ou o que faz da vida. Você pode ser absolutamente irresistível começando agora mesmo. O restante deste livro irá lhe mostrar como fazer isso.

Tudo é como deveria ser

Não há coincidências. O que você tem na sua vida foi você quem atraiu para si mesma, consciente ou inconscientemente. Tudo é exatamente como deveria ser. Cada alegria, desafio, oportunidade e circunstância – incluindo o fato de você estar lendo este livro – é exatamente o que você precisa para satisfazer sua evolução pessoal irresistível. Nada disso é coincidência.

Muitas mulheres lutam contra o que acontece em suas vidas, como se elas devessem ser diferentes. Elas não admitem que quando alguém luta contra o momento presente, na verdade está lutando contra o universo inteiro. Essa batalha constante de resistência é mortal para a nossa irresistibilidade. Cada desapontamento, raiva, dor, tristeza e desarmonia que experimentamos é resultado de nossa resistência, ou nossa discordância acerca de algum aspecto atual de nossa vida.

Por outro lado, quando nós paramos de resistir ou discordar do que a vida está nos mostrando, e verdadeiramente nos rendemos ao fato de que tudo é como deveria ser, voltamos a ficar em sincronia com o universo e ter um acesso instantâneo a um poder pessoal maior e a uma clareza e irresistibilidade autênticas.

É importante notar que o entendimento de que “tudo é como deveria ser” não significa que você vai se virar e se fazer de morta, vai permanecer em um relacionamento abusivo ou sem amor, ou vai se tornar complacente. Reconhecer a realidade lhe fortalece. Isso coloca você na condição de condutora do ônibus da sua vida e dá a partida.

A prática de reconhecer a realidade é chamada de assumir a responsabilidade pela existencialidade. Em outras palavras, ter mais interesse pela realidade, ou pelo que “é”, em vez de reclamar ou desejar que as coisas fossem diferentes. (Nota: a noção de existencialidade tem sido mencionada em tudo, desde religião e espiritualidade a autoaprimoramento e ciência. Embora eu não tenha criado o conceito, eu o considero incrivelmente útil, como você verá.)

Resumindo, aqui está o que assumir a responsabilidade pela existencialidade significa: levar a sua vida com entusiasmo exatamente da forma como ela é, independentemente de seus gostos e antipatias, suas preferências, ideias, crenças e opiniões sobre como as coisas deveriam ou poderiam ser. Isso permite incondicionalmente que as coisas sejam da forma como são para você. Quando você lida com o que é, ou com sua existencialidade, então pode escolher quem você gostaria de ser em relação a isso.

Assumir a responsabilidade pela sua existencialidade é o segredo para se tornar poderosa e ter magnetismo na vida. Quando você se empenha na vida exatamente como ela é – não como você preferiria que ela fosse –, acaba não sendo mais refém de suas próprias circunstâncias ou sendo vitimada pelo mundo. Aqui está um exemplo: vamos dizer que você está parada no trânsito e deu uma pane no motor do seu carro. Esse momento é a sua existencialidade. Claro que você preferiria não estar parada no trânsito, mas é o que acontece. Você tem duas escolhas: ou se queixa e reclama disso (isto é, resiste à sua existencialidade) ou se rende (assume a responsabilidade pela sua existencialidade) e aproveita o momento. Aproveitar pode ser ouvir o rádio e se divertir com as suas estações preferidas (o que eu chamo carinhosamente de “dançando no carro”), ouvir CDs de desenvolvimento pessoal ou educacionais, fazer telefonemas que precisam ser feitos, ou simplesmente sentar e relaxar. O que eu acho bastante interessante é que, com muita frequência, quando eu me rendo de verdade ao trânsito, não apenas a minha frustração passa depressa, mas o trânsito também começa a se mover rapidamente.

Advertência importante: você não pode praticar o ato de assumir a responsabilidade pela sua existencialidade como uma manipulação para resolver uma situação. Você tem que realmente tentar fazer isso. Somente assim a mágica acontecerá. Entender essa verdade universal é essencial para o método de Deixe todos os homens aos seus pés, porque essa é a sua porta de acesso ao completo desabrochar pessoal.

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. Você já notou que quando resiste à sua existencialidade, o resultado é sempre uma frustração? Você consegue perceber que ficar lutando contra isso vai apenas gerar dor e sofrimento, especialmente para você?

2. Como a sua vida poderia mudar se você assumisse a responsabilidade pela sua existencialidade o tempo todo? Você acha que seria mais ou menos amada? Mais ou menos eficiente? Mais ou menos irresistível?

3. Como está o seu relacionamento neste momento? Não o que deveria ser, se os dois parassem de discutir, ou se ele tivesse mais dinheiro, mas o que é agora. Você consegue se soltar e começar a amar? Que tipo de impacto a compaixão teria em seu relacionamento?

4. Você está querendo trocar a frustração e a raiva por uma nova possibilidade? Quanto você permitiria à sua vida ser boa?

Durante as próximas 24 horas, assuma total responsabilidade pela sua existencialidade. Não importa o que aconteça – se a sua impressora quebrar, se o seu encontro for cancelado, se o avião estiver atrasado por mais de duas horas –, finja que você quis que isso acontecesse. Você pode até dizer “E isso é o que eu quero!” depois de qualquer circunstância à qual a sua mente queira resistir. Por exemplo: Você está esperando há 45 minutos pelo atendente da operadora de telefone celular. Então pense: “Hum, eu estou esperando há 45 minutos… e isso é o que eu quero!”. Então, o sinal fica fraco e a ligação cai bem na hora que você ia falar com um funcionário do atendimento ao cliente. Pense: “Hum… caiu a ligação… e isso é o
que eu quero.”. Embora possa se sentir meio maluca no começo, esse exercício não irá apenas fazê-la rir – ele irá ajudá-la a se tornar consciente de todas as formas que você resiste à sua existencialidade e inconscientemente gera sofrimento, frustração e tristeza na sua vida.

De onde vêm as suas ideias

Quando criança, eu adorava música. Uma canção que me traz recordações profundas é a de um cantor chamado Falco. Ele tinha uma melodia muito cativante que me fazia cantar e dançar pela casa. Aos nove anos, eu gostava principalmente do forte sotaque estrangeiro que ele tinha e do fato de ele cantar sobre batatas quentes (uma escolha estranha, mas veja, eram os anos 1980 e ele era austríaco). Era alguma coisa parecida com:

“Batatas quentes, batatas quentes, ba-ta-tas quentes, batatas quentes, batatas quentes – ah ah ah, batatas quentes...”. A música tinha um som de funk eletrônico e, no verão de 1985, eu a achava o máximo. Voltando a fita para os meus nove anos, eu estava assistindo um programa especial na MTV sobre as “Melhores músicas dos anos 1980” quando eles anunciaram que o Falco era o próximo. “Legal”, eu pensei, “finalmente vou ver porque esse cara canta sobre batatas quentes”.

Bem, para a minha surpresa e vergonha, a música não tinha nada a ver com batatas. A música se chamava Rock Me Amadeus. Aos nove anos, eu nunca tinha ouvido falar de Mozart – isso ainda não fazia parte do meu vocabulário. Minha mente jovem se utilizou de algo que me soou familiar (batatas quentes) e até que tivesse aprendido de outra forma, eu acreditava que a música do Falco era sobre tubérculos cozidos.

A intenção dessa história simples é ilustrar que tudo o que sabemos é simplesmente uma coleção de pensamentos e informações que absorvemos ao longo da vida. A maioria de nós nunca investiga se aqueles pensamentos e informações estão realmente corretos. Quando se trata de homens e relacionamentos, a maioria de nós absorveu ideias que não são apenas inexatas, mas que literalmente sabotam a nossa habilidade de aproveitar uma vida amorosa satisfatória e saudável.

Vamos encarar isso: nossos pais provavelmente faltaram a uma aula que se chamava “Como ter relacionamentos maravilhosos”. E os nossos avós? Eles cursaram “Relacionamentos amorosos e duradouros 101”? Eu duvido. Eles aprenderam com os pais deles, que aprenderam com os pais deles, e assim por diante, com todos os seus antepassados.

Não é sua culpa nem de ninguém que esteja agindo baseada em alguma informação equivocada sobre relacionamentos que vêm sendo transmitida desde o início dos tempos, mas é responsabilidade sua dar um passo à frente e usar o que funciona agora. Como Maya Angelou diz: “Agora que você sabe mais, vai se sair melhor”.

Investigue seu pensamento-problema

O primeiro passo para se livrar de um pensamento-problema é admitir que você tem um problema. Bem, a maioria das mulheres, inclusive eu, tem alguma forma de “pensamento” problemático – especialmente quando se trata de homens e relacionamentos. Nós pensamos demais, e muito do que pensamos é repetitivo, ilusório, deprimente e tóxico. Então o primeiro passo para se livrar do seu pensamento-problema é admitir que você tem um.

Dizem que os seres humanos têm aproximadamente 50 a 60 mil pensamentos por dia e 95% deles são os mesmos do dia anterior, o que significa que inconscientemente estamos nos alimentando da mesma informação imprecisa repetidas vezes. Não me surpreende que nada pareça mudar.

Uma saída é a conscientização, o desejo de investigar como a sua mente e o seu sistema de crenças estão atualmente configurados com relação a homens e relacionamentos. Em primeiro lugar, identifique em que você acredita e por quê. Pergunte-se: “Quem colocou esse pensamento aí? Quem disse isso? Isso está servindo para mim?”. Em relação a essa última pergunta, a minha resposta, na maioria das vezes, é não.

Agora vamos investigar o que você sabe sobre relacionamentos. Como descobrimos antes com a minha música das “batatas quentes”, muito do que acreditamos ser verdade é simplesmente uma velha coleção de pensamentos reunidos por uma versão mais jovem, porém menos experiente, de nós mesmas.

Quando se trata de homens e relacionamentos, nossas ideias geralmente foram consolidadas durante uma situação de desapontamento como um rompimento de namoro, por exemplo

Ideias como:
• Eu não posso confiar nos homens.
• Eu não sou bonita/magra/talentosa/engraçada o suficiente.
• Todos os homens são safados.
• Relacionamentos são muito difíceis.
• Eu nunca vou encontrar alguém

É em situações de decepção que tomamos decisões mentais que limitam o que é possível fazermos no futuro. O problema é que, embora sigamos adiante no tempo, geralmente nos esquecemos das decisões tomadas, aquelas velhas decisões que nos impedem de nos sentirmos completamente vivas e capazes de nos conectarmos em nossos relacionamentos de verdade.

Como um computador velho, nossas mentes estão com os softwares desatualizados. Investigar o nosso pensamento-problema é como fazer uma atualização de software mais que necessária. Quando olhar, você verá que as informações que as nossas mentes contêm – especialmente sobre homens e relacionamentos – não estão apenas desatualizadas, mas são complemente contraditórias ao que dizemos e queremos agora. Veja você mesma. Complete rapidamente as seguintes frases:

Amor é ____________________________

Homens bons são ____________________________

Eu aposto que você deu algumas respostas automáticas como “cego” e “difíceis de encontrar”. Mesmo que você não acredite nessas afirmações, como as funções de autocompletar dos nossos computadores, nossas mentes automaticamente “preenchem os espaços vazios” baseadas na informação com que as alimentamos ou ouvimos antes. Se você quer deixar todos os homens aos seus pés, você tem que tomar consciência de seu pensamento-problema e resolvê-lo. Continuar alheia a respeito das ideias antigas que estão armazenadas na sua mente só lhe mantém presa ao passado e fora do presente, onde mais possibilidades de realização e de relacionamentos expansivos existem.

Desafio da Ação Irresistível

Quais são as ideias sobre amor, homens e relacionamentos que você tem como “verdadeiras”? Que tipo de coisas a sua família e os seus amigos lhe disseram? Quais decisões anteriores sobre homens ou relacionamentos você tomou durante uma experiência triste? Pense durante alguns minutos e escreva o que você acredita ser “a verdade”. Agora, pergunte-se: quantos anos você tinha quando teve aquela ideia pela primeira vez? Ela ainda funciona? O quanto você deseja resolver o seu pensamento-problema e conseguir alcançar a sua irresistibilidade?

 

Ser irresistível requer responsabilidade pessoal

Responsabilidade pessoal significa se responsabilizar pelas consequências daquilo que você faz ou daquilo que não acontece na sua vida. Mais especificamente, responsabilidade significa que você tem a habilidade de responder à sua vida em vez de reagir automaticamente. Muitas de nós se comportam como robôs, agindo mecanicamente por meio de padrões habituais de autopiedade, opressão, ressentimento e pensamentos fantasiosos. Em vez de descobrir quem nós somos agora, ou com quem estamos agora, nós REagimos ou agimos novamente, baseadas em como reagimos em eventos semelhantes no passado.

As mulheres geralmente descarregam raivas e ressentimentos passados em pessoas com quem geralmente estão se relacionando. Isso sempre inclui queixas contra ex-namorados, maridos, chefes e, particularmente, queixas contra o pai.

Esse comportamento automático acaba com a nossa irresistibilidade. É por isso que muitas mulheres continuam tendo o mesmo tipo de relacionamento; a única coisa que muda é os homens com quem elas se relacionam. Elas literalmente estão mantendo a mesma reação aos hábitos antigos e robóticos, portanto, acabam gerando resultados semelhantes e indesejáveis com seus parceiros. Em vez de assumir a responsabilidade e investigar como elas estão agindo e o que estão fazendo (ou não), elas acham mais fácil culpar o “homem errado” ou o “azar”.

Ser pessoalmente responsável permite que você refaça a sua programação mental até que consiga realmente começar a responder à sua vida adequadamente em vez de reagir de forma mecânica como você fazia no passado. Este é um jeito incrivelmente estimulante de viver. Com responsabilidade pessoal, você consegue controlar satisfatoriamente a sua vida. Você pode se libertar dos padrões cíclicos de vida e impactar de maneira pró-ativa a qualidade e a existência de seus relacionamentos.

O primeiro passo na direção da responsabilidade pessoal é se conscientizar a respeito de como você age em sua vida. Isso significa ser investigativa, observadora e não julgar. Ariel e Shya Kane, autores reconhecidos internacionalmente e grandes palestrantes, bem como grandes amigos meus, ensinam uma maneira incrivelmente fácil e eficaz de fazer isso. Eles dizem para a pessoa fingir que é uma antropóloga estudando uma cultura de uma única pessoa: você.

Os Kane encorajam uma abordagem antropológica da vida. Os antropólogos simplesmente observam o que as coisas são. Eles olham e contemplam sem acrescentar comentário ou julgamento. Por exemplo, um antropólogo nunca diria “Aqueles selvagens loucos realizam umas danças do fogo ridículas em horas impróprias”. Um antropólogo simplesmente observaria: “O povo indígena realiza rituais de fogo às três horas da manhã”.

Se quer ser irresistivelmente atraente, você tem de observar a si mesma sem emitir julgamento. Simplesmente observe o que você faz. Quando você julga, repreende, critica, reclama ou acrescenta comentários de suas próprias observações, você na verdade consolida velhos comportamentos.

Há uma lei na física que afirma: para cada ação, há uma reação igual e oposta. Em outras palavras, ao que nós resistimos, persiste. Julgar, repreender, criticar e reclamar são formas de resistência. Elas são uma declaração sem neutralidade que age como cola e gruda você a comportamentos-padrão indesejados. Quando você simplesmente observa o que faz em vez de julgar ou criticar a si mesma, uma transformação mágica pode acontecer instantaneamente. Você não mais será movida pelos comportamentos habituais que acabam com a sua atração e irresistibilidade e causam o fracasso dos relacionamentos. Isso acontece porque o que você olha sem julgar desaparece.

Olhar para algo sem julgar é uma atitude neutra e liberal. Se você observar um comportamento sem julgar, terá introduzido a opção de escolha à equação. Nesse momento, você está livre (se escolher isso) para parar de fazer aquelas coisas que acabam com o seu poder de atração. Não julgar imediatamente dissolve a natureza habitual de seus comportamentos e cria a opção de ser autêntica, adequada e irresistivelmente você.

Se há qualquer situação ou circunstância em sua vida de que não gosta (ou seja, ser solteira, estar fora de forma, ser tímida com os homens, ter um relacionamento medíocre), você está resistindo a isso. Ou seja, quando você resiste a algo, realmente gasta energia pensando sobre isso ou como gostaria que tudo não existisse, o que literalmente continua recriando esse tipo de situação na sua vida, portanto, é tudo em que você consegue pensar.

Quando você simplesmente olha para uma situação, a vê como ela é, e para de desejar que isso fosse diferente, a situação perde o domínio sobre você. O aspecto “problemático” disso desaparece. Você suaviza e interage mais adequadamente com sua vida e com as pessoas. Ao tomar consciência do que acontece sem resistir, sua consciência não condicionada é despertada. Você consegue ser clara e compassiva. Sua habilidade de ser eficaz se expande no mesmo instante. É a partir dessa consciência neutra que a sua verdadeira irresistibilidade é revelada e o seguinte pode ocorrer:

• Estar solteira não é mais um problema ou uma falha que você tem que resolver, mas uma oportunidade para se recomprometer na vida e reinvestir em seu crescimento espiritual. É um ponto de partida para a diversão, aventura, romance e autoconhecimento.

• Estar fora de forma não é mais uma falha de caráter permanente. É simplesmente seu atual ponto de partida para revelar uma você mais forte, mais saudável e mais bonita.

• Ter um relacionamento insatisfatório não é algo que você tenha que mudar (ou seja, tentar transformar seu namorado em algo que ele não é). Admita para si mesma que isso não está mais dando certo e se dê a opção de criar algo que funcione.

Contrário à crença popular, você não precisa de anos de terapia para se curar ou mudar comportamentos indesejáveis. Com consciência (que é uma observação de algo livre de julgamento), a resolução pode ocorrer instantaneamente.

Verificação da realidade: isso quer dizer que se você tem uma dívida de R$30.000 e olha para ela sem julgar, ela irá literalmente desaparecer? Quem me dera. Mas o que acontecerá, no entanto, é que você não mais será dominada pela culpa, pela preocupação e pelo medo associados a isso. Você recuperará a sua vida e reconquistará seu poder pessoal. Ao notar a existência da sua dívida, você pode começar a tomar a ação para reduzi-la. O universo irá apoiá-la com uma taxa menor de juros, um empréstimo, novos clientes ou o recebimento de algum dinheiro. Enquanto isso, você não mais viverá sob o constante falatório mental sobre o quão “má” você é por ter uma dívida ou viver a sua vida com o dinheiro contado.

O primeiro passo é a responsabilidade pessoal. E a chave para a responsabilidade pessoal é a conscientização. Quando você toma consciência das coisas que faz que não a levam a atrair e manter os homens e não julga a si mesma pelo que descobriu, você realmente para de fazer essas coisas.


 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados