Cirurgia plástica na vida real
Março de 2002


Na edição 1741 de 6 de março de 2002, VEJA mostrou milhares de brasileiros estão recorrendo a cirurgias plásticas para melhorar a aparência. O desejo é dos mais legítimos, mas embute o risco dos excessos e das operações mal feitas. Um fórum em VEJA on-line pediu que os internautas contassem experiências reais que tiveram ao fazer plástica. Confira alguns testemunhos que podem ajudar quem tem dúvidas sobre a validade de encarar o bisturi para ficar mais bonito. *
   
  Mudança geral
Há dois meses, fiz uma lipoaspiração no abdômen, parte interna das coxas e culote. Fiquei muito feliz com o resultado. Às vezes é preciso fazer um retoque na lipo, caso ainda venha a sobrar gordura. Para mim, foi uma mudança geral na minha vida. Minha auto-estima foi de 0 a 100. Muito importante na hora de optar por uma lipo é a escolha de um médico de confiança, que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Além disso, é preciso respeitar todas as recomendações do médico no que diz respeito ao pós-cirúrgico. No caso da lipo, sugiro que a pessoa procure um nutricionista para um processo de reeducação alimentar depois de se recuperar da cirurgia (para que o resultado não vá por água abaixo). Boa Sorte!
Paula Maisenhelder. Rio de Janeiro, RJ
   
  Fiz e aconselho
Fiz uma cirurgia de mama há um mês e gostei muito. O médico é excelente, conhecido (fiz muita pesquisa antes) e me deu muito conforto e tranqüilidade antes, durante e depois. Ainda não tirei totalmente os curativos, mas já deu para ver que ficou muito bem feito. Estou feliz e aconselho a plástica para quem realmente tem vontade e necessidade de fazer. Mas cuidado: é um procedimento cirúrgico como qualquer outro.
Valéria Raeli. Belo Horizonte, MG
   
  Aconteceu comigo
Em janeiro de 2001, depois de várias tentativas e desistências, resolvi encarar o desafio de uma cirurgia plástica. No dia 3 de janeiro, exatamente às 6h30 da manhã, dei entrada na Maternidade do Instituto Saúde da Criança, para me operar. Por volta das 10 da manhã, o médico responsável foi ao apartamento e fez as marcações da cirurgia do abdômen. Na ocasião, ele me incentivou a fazer a de mama (já estava ali mesmo, aproveitaria a anestesia.). A cirurgia durou mais de 5 horas. Voltei ao quarto e o pós-operatório corria bem, até que no quinto dia, comecei a notar vermelhidão nas cicatrizes. Fui imediatamente ao cirurgião, que disse que era normal. No sétimo dia, além da vermelhidão, surgiu uma febre. O médico continuou dizendo que era normal e, para eliminar dúvidas, fez uma punção e prescreveu um remédio, dizendo que tudo era normal. No oitavo dia, o cirurgião viajou para Venezuela para fazer cirurgias plásticas em série. No nono dia, após ter feito um novo curativo como em todos os dias anteriores, a vermelhidão aumentou e a febre voltou com tudo. Comecei a sentir calafrios, tremores por todo o corpo. Até que minha família resolveu procurar um médico de confiança, que recomendou o básico: um hemograma. O resultado foi infecção, chegando à beira de uma septicemia. Graças a Deus, minha família resolveu agir a tempo, trocando de hospital e de equipe médica.
Matilde Serrano Castilho. Belém, PA
   
  Com consciência
Coloquei prótese de silicone na panturrilha há sete meses. Até então tinha um enorme complexo. Pesquisei muito a respeito e consultei vários cirurgiões da minha cidade. Alguns me aconselharam a não fazer a cirurgia, o que me deixava muito frustrada. Continuei pesquisando até encontrar uma médica que disse que quando a minha vontade fosse maior que o medo era a hora de fazer a cirurgia. Hoje, vivo uma vida normal e feliz. Acho que quando um problema estético chega ao ponto de atrapalhar a sua vida, a cirurgia plástica deve ser realizada, desde que seja com bons profissionais e com consciência.
S.C.M. Fortaleza, CE
   
  Sem arrependimento
Já fiz cirurgia plástica, sim, e faria novamente! Em 2000, me submeti a uma correção do nariz - foi o que de melhor eu poderia ter feito. Hoje, quando me olho o espelho, me sinto feliz com a minha imagem. Vale lembrar, porém, que tal cirurgia só foi realizada após algumas consultas com profissionais da área - deve-se, antes de tudo, verificar a idoneidade do cirurgião e ter uma conversa franca com ele. Meu nariz ficou lindo, é claro, combinando com o meu rosto. Nada que você olhe e diga "ela fez plástica".
Rachel Ordonio. Curitiba, PR
   
  Cuidado com as cicatrizes
Há 4 anos, eu estava em dúvida se faria plástica de abdômen ou mamas. Depois de muita reflexão, optei primeiro por diminuir as mamas, pois nunca gostei de ter seios grandes. Procurei um bom médico para finalmente fazer a tão esperada plástica. Como tenho displasia, pedi ao médico que deixasse meus seios bem pequenos. Mas o pós-operatório foi péssimo: acordei gemendo de dor, fiquei uma semana com dores, quinze dias dormindo sentada, porque não conseguia dormir de barriga para cima, um mês sem dirigir e um mês sem poder pegar meu filho de 2 anos no colo. Conclusão: depois de passar por tudo isso, o tamanho do soutien continua o mesmo com uma pequena diferença no seio ... cicatrizes.
Gisela Fuschini Gioia. Santos, SP
   
  Sem expectativas
Há três anos me submeti a uma rinoplastia, pois não gostava do meu nariz. O cirurgião, escolhido por recomendação de parentes, foi muito simpático e prometeu muita coisa. Mostrou dezenas de fotos de "antes e depois". Foi bastante convincente e eu acabei por optar por cirurgias simultâneas de pálpebras e facial. O resultado foi péssimo. O nariz continuou o mesmo e os olhos ficaram com problemas. Fiz uma segunda cirurgia e nada mudou. Procurei outro cirurgião para retificar o que havia sido feito. A terceira cirurgia no nariz trouxe algumas mudanças, mas não ficou ideal. Fiz uma quarta há três meses e ainda estou esperando pelos resultados. Acho que agora vai ficar bem (pudera! foram quatro cirurgias!). As pessoas devem mudar aquilo que incomoda, mas não devem criar muita expectativa, mesmo que o cirurgião escolhido alimente isso.
Celi. Porto Alegre, RS
   
  O lado ruim
Fiz uma cirurgia para redução de mama. Resultado: cicatrizes enormes que me impedem de usar parte de cima de um biquíni normal e mamilos tortos. O cirurgião se ofereceu para melhorar o aspecto. Ele mexeu, mas piorou. Depois, fiz lipoaspiração com outro cirurgião. Fiquei com cicatrizes muito nítidas nas laterais do abdômen. É bom esclarecer que não tenho nenhum problema com cicatrização e não era gorda. Agora, não faria outra cirurgia. Ganha-se um beneficio estético de um lado e uma cicatriz do outro.
A internauta não quis se identificar.
   
  Homem também tem vaidades
Em janeiro, fiz uma lipoescultura na região do queixo, bochechas e na lateral do rosto. Sempre tive tendência de engordar no rosto e como já tenho pouco queixo, ele praticamente não aparecia. Mesmo emagrecendo, o rosto ficava mais magro, mas a gordura localizada no queixo e nas bochechas não saíam. Pelo contrário, começou a descer. Estou muito feliz com o resultado. Não tive problemas antes, durante nem depois. A gente se sente bonito por fora e por dentro. Uma sensação de causar inveja.
Marcelo I. Tóquio, Japão
   
  Se arrependimento matasse...
Fiz uma lipoaspiração de abdômen e cintura em 2000. Ficou horrível, com ondulações. Fiz o retoque em 2001 e continuou horrível. Paguei 4.000 reais e estou arrependida. Agora, vou fazer outra cirurgia para retirar a flacidez que ficou como herança das intervenções anteriores.
Cris. Santos, SP
   
  Injeção de ânimo
Tenho um problema sério com relação à aparência. Já fiz plástica de nariz, prótese no seio, lipoaspiração, injeções e, mesmo assim, continuei achando defeitos. Procurei novamente o cirurgião para fazer uma nova intervenção. Mas ele disse que não havia necessidade. Acho que deve ser doença, pois quando engordo um pouquinho entro em depressão. Adorei fazer as cirurgias plásticas. A auto-estima vai lá em cima. Recomendo, pois é uma injeção de ânimo.
Miram. Curitiba, PR
   
  Beleza ideal
Tenho 23 anos e desde os 20 venho me submetendo a sessões de lipoaspiração e plásticas. Ao longo desse período, emagreci 30 quilos. Após já ter lipoaspirado a mama duas vezes, resolvi também fazer uma mastectomia (retirada das glândulas mamárias) e, só assim, obtive o resultado que esperava. Por último, refiz meu nariz. Até o fim do ano, devo submeter-me a mais duas lipoaspirações e pretendo reconstituir todo o meu queixo! Ao todo, já fiz oito lipoaspirações e duas plásticas. Saibam que, apesar de todo o pós-cirúrgico ser um pouco traumático, não pretendo desistir na busca da minha beleza ideal.
Christian De Carli. Fortaleza, CE
   
  Mais e mais cicatrizes
Resolvi fazer uma lipoaspiração na cintura, pois estava quadrada. O médico não me pediu nenhum exame e nunca perguntou se estava tomando remédio. O resultado: ele tirou gordura também das nádegas, parte superior e do lado direito, que ficou com um buraco. Ele me disse que errou e ia consertar. Então, resolvi tirar a barriga também (paguei a cirurgia novamente). Não melhorou nada. Ficou a mesma coisa. Segundo ele, meu organismo absorveu a gordura. No mesmo dia, percebi que praticamente não tinha modificado nada, apenas fiquei com mais cicatrizes. Passados alguns meses, o médico resolveu tirar gordura da minha perna para injetar na nádega com defeito (não paguei a cirurgia e ganhei mais cicatrizes, pois ele não aproveitou nenhuma delas por mais que eu pedisse). Melhorou um pouco, mas ainda continua diferente da outra. Eu ainda quero consertar, pois tenho vergonha de usar biquíni.
Elenice. Poços de Caldas, MG
   
  Preço da felicidade
Tenho 20 anos e, aos 18, fiz plástica para redução dos seios. Ninguém achava nada anormal, mas eu me sentia péssima, não podendo usar certas roupas. Além disso, estando em plena flor da idade, meus seios já eram flácidos. Eu achava que nunca teria coragem de me despir para ninguém. Tinha vergonha até da minha ginecologista. Então, no final de 2000, fiz a cirurgia. Fiquei muito feliz com o resultado. Agora uso tops, camisetas cavadas etc. Nenhuma cicatriz ficou, mas o problema é que a sensibilidade nas glândulas mamárias foi afetada. Não sinto estímulos no bico dos seios. No começo, foi difícil aceitar isso, mas percebi que é muito melhor estar assim, com algo que posso resolver tendo conversas com meu parceiro, do que me manter com auto-estima em baixa. Paguei um preço pela cirurgia, mas ganhei em felicidade.
Internauta não quis se identificar.
   


  * Os nomes de médicos citados nos depoimentos - de forma elogiosa ou com críticas - foram retirados. O objetivo do painel de opiniões não é investigar se houve ou não falhas, mas apenas permitir a troca de experiências entre os internautas.
   
Leia a reportagem
Corpos à venda
Testes
1. Você está satisfeito
com sua imagem?


2. Descubra de que personagens famosas foram tiradas as partes do rosto da "mulher perfeita"
Serviço
1. Dicas que ajudam a indicar um bom cirurgião

2. O site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica permite que você pesquise, pela internet, se o médico com quem está pensando em fazer uma operação possui título de especialista na área. Clique aqui para fazer a pesquisa
   
  Arquivo
. A Terra pede socorro
. Diogo e a metáfora perfeita
. Reféns da violência
. Diogo X Hino Nacional
. Recado para o Felipão
. As dúvidas na adolescência
. Rubens Barrichello
. A medicina alternativa
. A cartilha de Felipão
. A candidata que encolheu
. Cirurgia plástica na vida real
. Diogo X Romário
. Pela família e com carinho
. Férias e polêmica
. Traição e culpa
. Para um 2002 melhor
. Geração Z
. A reação dos surfistas
   
 
/html>