BUSCA

Busca avançada      
FALE CONOSCO
Escreva para VEJA
Para anunciar
Abril SAC
Publicidade
SEÇÕES ON-LINE
Perguntas & Respostas
Janeiro de 2009
Depressão

Reuters

A depressão tem algumas características que muitas vezes passam despercebidas, não somente por quem sofre da doença, mas também por familiares e amigos, podendo ser confundida com tristeza. Ficar atento aos seus sintomas é importante - afinal, isso possibilita um diagnóstico precoce e um tratamento mais eficaz, de acordo com a recomendação dos médicos. A seguir, saiba um pouco mais sobre a doença, que atinge milhões de pessoas no mundo todo.

1. Quais são os principais sintomas da depressão?
2. Quais são as suas conseqüências?
3. É uma doença ligada aos tempos modernos?
4. Quantas pessoas sofrem de depressão?
5. E no Brasil, quantas pessoas são atingidas pela doença?
6. A doença só atinge um grupo específico de pessoas?
7. Por que as mulheres são mais sujeitas à depressão?
8. E quais são as causas da doença na terceira idade?
9. Como é feito o tratamento da depressão?
10. Existe cura para a doença??

1. Quais são os principais sintomas da depressão?

Mudanças de humor, perda de interesse ou prazer nas atividades, sentimento de culpa ou perda de auto-estima, distúrbio de sono ou de apetite, perda de energia e falta de concentração.

 
topo

2. Quais são as suas conseqüências?

Se não tratada devidamente, pode levar a uma incapacidade de gerenciar a própria vida e à perda da responsabilidade em relação aos outros. A depressão pode levar a casos extremos como o suicídio. A doença está associada à morte de cerca de 850.000 pessoas por ano, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

 
topo

3. É uma doença ligada aos tempos modernos?

A doença é muito mais antiga do que muitos imaginam. Há registros de casos de depressão que remontam à antiguidade..

 
topo

4. Quantas pessoas sofrem de depressão?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão atinge 121 milhões de pessoas ao redor do mundo e está entre as principais causas que contribuem para incapacitar um indivíduo. A OMS prevê que até o ano de 2020 a depressão passe a ser a segunda maior causa de incapacidade e perda de qualidade de vida..

 
topo

5. E no Brasil, quantas pessoas são atingidas
pela doença?

Estima-se que cerca de 17 milhões de brasileiros tenham a doença. De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), 74.418 trabalhadores foram afastados de suas atividades em 2007 em decorrência de depressão.

 
topo

6. A doença só atinge um grupo específico
de pessoas?

Não. A depressão pode ocorrer tanto em homens como em mulheres, de todas as idades e de qualquer classe social. No entanto, a incidência é muito maior entre as mulheres do que entre os homens (a proporção é de dois casos entre elas para cada caso entre eles). Entre os indivíduos que também apresentam maior risco de desenvolver a doença estão as pessoas com casos de depressão na família, usuários de drogas, medicamentos e álcool, e mulheres nos dezoito meses seguintes a um parto.

 
topo

7. Por que as mulheres são mais sujeitas
à depressão?

Ainda não existe uma explicação científica que justifique o fato de a mulher ser mais sensível à depressão. Há algumas teorias, entre elas a que relaciona esse efeito aos hormônios femininos.

 
topo

8. E quais são as causas da doença na
terceira idade?

No idoso, é comum que a depressão esteja associada à diminuição da autonomia, da capacidade funcional, ao isolamento, e à perda de familiares e amigos. Conforme a Associação Brasileira de Psiquiatria, cerca de 15% da população de idosos apresentam os sintomas clínicos da doença.

 
topo

9. Como é feito o tratamento da depressão?

O tratamento tradicional é feito à base de antidepressivos com acompanhamento psicológico. A complementação ao tratamento com atividades esportivas aeróbicas também é recomendável por alguns profissionais de saúde.

 
topo

10. Existe cura para a doença?

De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria, a depressão tem natureza recorrente, como uma enxaqueca. Porém, 70% dos depressivos respondem bem ao tratamento. Os outros 30% têm resposta parcial ou não apresentam qualquer sinal de melhora. De acordo com a OMS, pouco mais de 25% das pessoas afetadas pela doença no mundo recebem o tratamento adequado. No Brasil, esse índice só não é maior devido à falta de preparo de uma parcela de profissionais de saúde em reconhecer os sintomas da doença e encaminhar os pacientes para o tratamento adequado.

 
topo
 
NA REVISTA
Reportagem de capa
O equilíbrio do
cérebro e da alma

1/12/2004
 
Quando o cérebro
é o médico...
E o monstro

28/6/2006
 
As doenças
da emoção

5/12/2007
 
Arquivo VEJA

A vida à beira de um abismo
1/7/2009

As idades da depressão
6/2/2008

Sinal de alerta
na academia

24/5/2006
Lágrimas de infelicidade
10/8/2005
Tratamento de choque
6/7/2005
Perturbação mundial
9/6/2004
 
NO SITE

Seção on-line: Saúde
Em Profundidade: Qualidade de vida

 
OUTROS TEMAS
Leptospirose
(dez/2008)
Gordura Trans
(set/2008)
Dengue
(mar/2008)
Febre amarela
(jan/2008)
Efeitos das
grandes altitudes

(jan/2008)
 
 
Publicidade

 
  VEJA | Veja São Paulo | Veja Rio | Expediente | Fale conosco | Anuncie | Newsletter |