BUSCA

Busca avançada      
FALE CONOSCO
Escreva para VEJA
Para anunciar
Abril SAC
ACESSO LIVRE
Conheça as seções e áreas de VEJA.com
com acesso liberado
SEÇÕES ON-LINE

Perguntas & Respostas

 
Outubro de 2007
Copa do Mundo de 2014

No dia 30 de outubro, finalmente a notícia se tornou oficial: o Brasil será o país anfitrião da Copa do Mundo de Futebol de 2014. O comunicado foi feito durante reunião do comitê executivo da Fifa em Zurique, na Suíça, na qual estavam o presidente Lula, o técnico da seleção brasileira, Dunga, e o jogador Romário. Essa será a segunda Copa realizada nos gramados do país - a primeira, em 1950, a derrota na final para o Uruguai calou o Maracanã e enlutou a nação. Para os torcedores será uma oportunidade de assistir em casa ao principal torneio da modalidade esportiva mais praticada no mundo.

1. Por que o Brasil foi o escolhido para sediar Copa de 2014?
2. Quais são as exigências para abrigar o torneio?
3. Algum estádio está preparado para receber a Copa?
4. Quantos estádios serão escolhidos para o Mundial?
5. Dos estádios atuais quais mudanças seriam necessárias para abrigar partidas do Mundial?
6. Quantos turistas o país pode receber?
7. Quanto o país vai gastar para receber o evento?
8. De onde sairá o dinheiro para bancar as despesas?
9. Quais as justificativas para o governo investir na Copa?
10. Qual é o retorno para o país depois do torneio?

Por que o Brasil foi o escolhido para sediar Copa de 2014?

A escolha do Brasil se deve a uma mudança no regulamento da Fifa. Em 2000, quando a Alemanha derrotou a África do Sul na votação interna do órgão para escolher o país-sede da Copa de 2006, a Fifa decidiu estabelecer um rodízio entre os continentes que abrigarão o campeonato. Coube à África do Sul, o mais desenvolvido país africano, encarregar-se da Copa de 2010. Para 2014, sendo a América do Sul a bola da vez, a disputa ficou entre o Brasil e a Colômbia. Em abril de 2007, alegando que não conseguiriam cumprir todas as exigências da Fifa para a realização de uma Copa do Mundo, os colombianos retiraram a candidatura. O Brasil se tornou candidato único. Mas um dia antes do anúncio do país-sede para 2014 a Fifa também divulgou o fim do rodízio de continentes, para evitar as candidaturas únicas.

 
topo

Quais são as exigências para abrigar o torneio?

Basicamente, as exigências da Fifa para a Copa rezam que os estádios onde as partidas são disputadas apresentem as mesmas condições de conforto e segurança que as de seus equivalentes nos países desenvolvidos. Todos os assentos, por exemplo, têm de ser numerados e é preciso haver hospitais e estacionamentos nas imediações. Além disso, será preciso preparar as cidades que os abrigam para a complexa operação logística que o certame envolve. Sediar uma Copa significa hospedar 32 equipes e suas comitivas durante um mês e criar estrutura para a realização de 64 partidas, que serão transmitidas globalmente.

 
topo

Algum estádio está preparado para receber a Copa?

Não, todos precisam de obras para abrigar uma partida do Mundial. Adaptar os modestos estádios brasileiros às recomendações técnicas da Fifa exigirá reformas colossais, e até a construção de novas instalações. Nenhum, nem mesmo os mais recentes, cumpre os requisitos básicos, a começar pelo conforto do público. A Fifa recomenda que todos os espectadores tenham assentos individuais, com encosto de pelo menos 30 centímetros de altura. Banheiros limpos e em número suficiente, corredores de entrada e saída largos e tribunas de imprensa bem equipadas são raridades nos campos brasileiros.

 
topo

Quantos estádios serão escolhidos para o Mundial?

A Fifa deve anunciar a lista de estádios que vão abrigar partidas do Mundial somente no fim do ano que vem. Serão selecionados no mínimo oito e no máximo doze.

 
topo

Dos estádios atuais quais mudanças seriam necessárias para abrigar partidas do Mundial?

 
topo

Quantos turistas o país pode receber?

A expectativa é que em um mês 500 000 turistas – 10% do total que o país recebe em um ano inteiro – acorram às cidades onde acontecerão os jogos. Em 1994, os EUA receberam 400.000 turistas; a França, em 1998, 500.000; o Japão, em 2002, 400.000; e a Alemanha, por conta da sua localização geográfica, bem no centro da Europa, recebeu 2 milhões de turistas. A previsão para 2010 é que 250.000 turistas vão à África do Sul. O campeonato atrairá ainda 15.000 jornalistas, 15.000 voluntários para tarefas diversas e 300 funcionários e convidados da Fifa, cuja lista de exigências ao país organizador inclui jatinhos, limusines e 400 automóveis.

 
topo

Quanto o país vai gastar para receber o evento?

Calcula-se que o Mundial de Futebol do Brasil consumirá 5 bilhões de dólares, embora as estimativas finais, quando anunciadas, devam prever cifras bem maiores. Foi o que aconteceu nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. Inicialmente orçados em 500 milhões de reais, estima-se que tenham consumido 4 bilhões de reais. Poucos países podem fazer como os Estados Unidos, que organizaram uma Copa do Mundo (em 1994) e duas Olimpíadas (em 1984 e 1996) sem um centavo de ajuda do erário. Isso porque toda a infra-estrutura estava pronta. Na Alemanha, o setor público (local ou federal) financiou um terço dos 2 bilhões de dólares gastos nas obras nos estádios.

 
topo

De onde sairá o dinheiro para bancar as despesas?

No caso da Copa no Brasil, parte da verba virá dos cofres da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), beneficiária dos polpudos patrocínios da seleção brasileira. Mas os gastos com infra-estrutura nas cidades onde acontecerão os jogos – construção de estádios, obras em estradas, aeroportos e sistemas de telecomunicações – correrão por conta do estado, ou seja, serão bancados com dinheiro público.

 
topo

Quais as justificativas para o governo investir na Copa?

Os argumentos a favor dos gastos públicos com a Copa do Mundo no Brasil dizem que o certame trará empregos, aumentará o fluxo turístico, promoverá a revitalização de áreas urbanas e garantirá investimentos de peso no país.

 
topo
 
 

Qual é o retorno para o país depois do torneio?

As estimativas sobre número de turistas, geração de empregos e impacto do evento sobre o PIB em geral são exageradas. Levantamentos dão conta de que em 1994 os EUA aumentaram em 1,4% o PIB; em 1998, na França, o PIB cresceu 1,3% a mais; em 2002, a Coréia o elevou em 3,1% enquanto o Japão teve decréscimo de 0,3%; e a Alemanha teve 1,7% a mais no PIB em 2006. Mas antes do Mundial da Alemanha, falou-se na criação de 100.000 empregos. Um estudo feito depois do evento contabilizou apenas metade desse total. A Coréia do Sul esperava 500.000 turistas a mais em 2002. Só apareceram 50% deles.

 
topo
NA REVISTA
Reportagens de capa
É penta!
30/6/2002
É tetra!
20/7/1994
A taça do futebol
de ouro

24/6/1970
Arquivo VEJA
E quando chegar a nossa vez?
26/10/2005
A Copa de Lula
21/6/2006
LINKS EXTERNOS
OUTROS TEMAS
  VEJA | Veja São Paulo | Veja Rio | Expediente | Fale conosco | Anuncie | Newsletter |