BUSCA

Busca avançada      
FALE CONOSCO
Escreva para VEJA
Para anunciar
Abril SAC
Publicidade
SEÇÕES ON-LINE
Perguntas & Respostas
Janeiro de 2009
Cidades-sede da Copa de 2014

Reuters

O Brasil tem pouco mais de cinco anos para preparar a realização de sua segunda Copa do Mundo de futebol. A primeira, em 1950, teve partidas disputadas em seis cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba e Recife. Na Copa de 2014, o número vai dobrar: doze cidades vão receber o mundial e, para isso, precisam correr contra o tempo. As reformas ou construções dos estádios devem começar no máximo até o dia 31 de janeiro de 2010. Além disso, as cidades terão de melhorar a infraestrutura para receber as seleções e torcedores estrangeiros. A seguir, os detalhes do processo:

1. Quais cidades receberão jogos da Copa do Mundo de 2014?
2. Quantas cidades se candidataram?
3. Quais critérios foram usados para definir as sedes?
4. Por que a Fifa queria apenas dez sedes, enquanto a CBF brigou por 12?
5. Por que nenhuma cidade ou estado terá duas sedes?
6. O que a Fifa exige em um estádio que receberá a Copa?
7. Qual capital receberá a abertura? E onde será a final?
8. Por que as cidades querem tanto realizar a abertura?
9. De onde sairá o dinheiro para construir e reformar estádios?
10. Qual é o prazo final para a entrega dos estádios da Copa?
11. Os brasileiros terminarão as obras nas sedes a tempo?

1. Quais cidades receberão jogos da Copa do Mundo de 2014?

São 12 cidades-sede: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Recife (PE) e Salvador (BA).

 
topo

2. Quantas cidades se candidataram?

Dezoito cidades foram candidatas. Além das 12 escolhidas ainda participaram da disputa Rio Branco (AC), Belém (PA), Maceió (AL), Goiânia (GO), Florianópolis (SC) e Campo Grande (MS).

 
topo

3. Quais critérios foram usados para definir as sedes?

Segundo o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, a escolha obedeceu a critérios técnicos, com base nas visitas feitas por técnicos da entidade, no começo de 2009, e nos projetos entregues pelas cidades. Além dos estádios, aspectos como a rede hoteleira, sistema de transporte urbano, aeroportos, segurança pública e opções de lazer também foram levados em conta na hora da escolha.

 
topo

4. Por que a Fifa queria apenas dez sedes, enquanto a CBF brigou por 12?

A Fifa prefere menos sedes por uma questão de economia. Cada cidade-sede tem de ter seu próprio centro de imprensa, hotéis oficiais, campos de treinamento, equipe de voluntários, por exemplo. Em um torneio como a Copa, com 64 jogos, dez sedes seria um número bom. Em média, cada cidade receberia seis jogos em um mês. O país, no entanto, tem dimensões continentais. De acordo com a CBF, foi isso que justificou a preferência por um número maior de sedes.

 
topo

5. Por que nenhuma cidade ou estado terá duas sedes?

Porque o Brasil é um país bastante grande e com mais cidades que podem ter condições de receber o mundial. Países que tiveram cidades com duas sedes, como França (Paris), México (Cidade do México) e Argentina (Buenos Aires), eram menores ou com menos cidades aptas a receber a Copa.

 
topo

6. O que a Fifa exige em um estádio que receberá a Copa?

Para começar, os estádios precisam ter pelo menos 40.000 lugares. O estádio da abertura deverá ter pelo menos 60.000 assentos; o de encerramento, mais de 80.000. A Fifa recomenda ainda que todos os espectadores tenham cadeiras individuais numeradas, com encosto de pelo menos 30 centímetros de altura. Banheiros limpos e em número suficiente, corredores de entrada e saída largos e tribunas de imprensa bem equipadas - raridades nos campos brasileiros - são outras exigências. Também é preciso haver hospitais e estacionamentos nas imediações das arenas.

 
topo

7. Qual capital receberá a abertura? E onde será a final?

Tudo indica que São Paulo receberá a abertura e o Rio de Janeiro, a final. É muito improvável que o Maracanã não receba a decisão. No caso da abertura, a situação é menos clara. Além da capital paulista, que tem como candidato o estádio do Morumbi, as cidades de Brasília, Belo Horizonte e Porto Alegre também brigam para receber o pontapé inicial do torneio. Quem tem a palavra final, porém, é a Fifa.

 
topo

8. Por que as cidades querem tanto realizar a abertura?

A cidade responsável por abrigar o primeiro jogo da Copa receberá também o Congresso Anual da Fifa, uma semana antes do Mundial. Com isso, a cidade terá a visita de mais de 200 dirigentes de todo o mundo, o que deve gerar muito dinheiro para o município. A cidade também será palco do principal centro de imprensa internacional.

 
topo

9. De onde sairá o dinheiro para construir e reformar estádios?

Segundo Ricardo Teixeira, as reformas dos estádios particulares - o Morumbi, por exemplo - são de inteira responsabilidade dos seus donos. Já as obras dos estádios públicos, como Maracanã e Mineirão, serão pagas através de parcerias público-privadas.

 
topo

10. Qual é o prazo final para a entrega dos estádios da Copa?

As reformas ou construções dos estádios devem começar no máximo até o dia 31 de janeiro de 2010. Já o prazo final para a entrega definitiva de todos os estádios em plenas condições de uso será o dia 31 de dezembro de 2012. Em 2013, o país deverá receber a Copa das Confederações, que serve como uma espécie de ensaio geral para o Mundial.

 
topo

11. Os brasileiros terminarão as obras nas sedes a tempo?

Pelo que se viu até agora, será uma missão difícil. Até agora, nenhum estádio tem condições de abrigar um jogo de Copa. Muito pelo contrário: todos os postulantes estão bem longe do padrão exigido pela Fifa. Caso o Brasil não dê conta da tarefa, a Fifa pode transferir o Mundial para outro país que já tenha a estrutura pronta. Os Estados Unidos, por exemplo, poderiam se preparar rapidamente.

 
topo
 
É penta!
30/6/2002
É tetra!
20/7/1994
Arquivo VEJA
NO SITE
OUTROS TEMAS
 
Publicidade

 
  VEJA | Veja São Paulo | Veja Rio | Expediente | Fale conosco | Anuncie | Newsletter |