Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Zinho nega indisciplina de Ronaldinho e promete cobrar

Por AE

Recife – Mal assumiu como diretor de futebol do Flamengo, o ex-jogador Zinho já está tendo que lidar com a primeira polêmica de Ronaldinho Gaúcho. O novo caso envolvendo o meia aconteceu na última quarta-feira, quando ele teria chegado atrasado e embriagado a um treinamento. Nesta sexta, no entanto, o dirigente negou a informação e explicou o que aconteceu.

“Recebi esta notícia como uma surpresa. Isso não aconteceu. Desde o momento em que cheguei no Flamengo, não aconteceu. Não permitiria que ele não entrasse em campo”, disse, em entrevista à SporTV. “No dia anterior houve trabalho na areia, um pouco mais forte, e à tarde movimentação no campo, que estava muito pesado por causa da chuva. Então a comissão resolveu preservá-lo do treinamento, já que é semana de estreia. Eu autorizei normalmente”, completou.

Zinho ainda garantiu que não viu sinais de embriaguez em Ronaldinho, mas minimizou uma possível noite mal dormida do jogador. “Sob efeito de álcool com certeza ele não estava. Se dormiu bem ou mal, não tenho como saber”, apontou. “Não concordo com excessos que atrapalhem o desempenho do grupo. O que ele faz fora de campo, se quer tomar cerveja, namorar, tudo bem. Sei que cada um tem sua forma de viver”, comentou.

Apesar de negar qualquer tipo de problema com o principal astro do Flamengo, Zinho admitiu ter conversado e cobrado para que ele volte a jogar em alto nível. “Converso com ele diariamente, para fazer ele voltar a jogar o que pode. Tem que se cuidar, se dedicar. Todo mundo precisa disso: comprometimento com o projeto do Flamengo”, declarou.

Um dos motivos para a contratação do ex-jogador como dirigente foi os sucessivos casos de desmandos e indisciplina no clube. Zinho prometeu “linha dura” e disse que quem descumprir as regras será punido. “Minha chegada aqui é para isso. Acabou. Já falei com todo mundo, olhei no olho e pedi a colaboração. Não cumpriu? Vai ser afastado, multado, e o Joel (Santana) tem toda liberdade para isso. Até porque quem será cobrado por isso depois será ele”, concluiu.