Vettel supera Raikkonen e vence com dobradinha da Ferrari

Felipe Massa, da Williams, terminou na nona posição, após largar em 14º no grid

O alemão Sebastian Vettel, que havia largado na segunda posição, atrás do companheiro de equipe Kimi Raikkonen, se isolou ainda mais na liderança do mundial de pilotos da Fórmula 1 ao superar o finlandês e vencer o Grande Prêmio de Mônaco com direito a dobradinha da Ferrari neste domingo.

Após fazer a pole position no sábado, Raikkonen liderou a corrida até entrar no pit stop e voltar na terceira posição. Vettel aproveitou a chance de assumir a ponta, ampliou a vantagem com bons tempos e, ao parar para colocar pneus supermacios, retornou à frente do finlandês, onde permaneceu até o fim.

Atrás dos pilotos da escuderia italiana, completou o pódio o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, que largou em quinto e se manteve entre os três primeiros durante a maior parte da prova em Monte Carlo.

O brasileiro Felipe Massa, da Williams, terminou a sexta corrida da temporada na nona posição, após largar em 14º no grid. Com o resultado, o único representante do país na categoria também ocupa o nono lugar no campeonato, com 20 pontos conquistados.

A primeira vitória da Ferrari em 16 anos em Mônaco, novamente ao som do hino da Alemanha (Michael Schumacher venceu em 2001), é a 45ª de Vettel na carreira e a terceira no ano, o que deixa o piloto com 129 pontos na tabela, em busca do quinto título.

O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, que terminou em sétimo lugar neste domingo, é o vice-líder da classificação, com 104 pontos, seguido pelo companheiro de equipe finlandês Valtteri Bottas, quarto colocado em Monte Carlo, com 75 somados.

Completando a lista de chegada no Principado, o holandês Max Verstappen, da Red Bull, foi o quinto colocado, à frente do espanhol Carlos Sainz, da Toro Rosso. Atrás de Hamilton, terminaram a prova o fracês Romain Grosjean, da Haas, Felipe Massa e o dinamarquês Kevin Magnussen, também da Haas.

Além dos dez primeiros, só outros três pilotos completaram a prova: o britânico Jolyon Palmer, da Renault, e os dois pilotos da Force India, o francês Esteban Ocon e o mexicano Sergio Perez, na ordem.

Jenson Button, que substituiu Fernando Alonso na McLaren em Mônaco enquanto o espanhol disputa as 500 Milhas de Indianápolis neste fim de semana, largou dos boxes após sofrer uma punição de 15 posições no dia anterior e não completou a prova.

Um acidente chamou a atenção na 60ª volta da corrida, quando o safety car precisou entrar em ação para retirar o carro do alemão Pascal Wehrlein, da Sauber, que foi tocado pelo de Button e tombou na barreira de pneus antes da entrada do túnel.

(com EFE)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Até que enfim alguém apareceu para interromper as vitórias daquele chato do Hamilton. F1 tem que ter alternância ou fica um saco. Aliás já se tornou um saco faz tempos. Só faltam placas de sinalização na pista, faixas e semáforo.

    Curtir

  2. Hoje resolvi assistir a tão famosa e badalada corrida. Consegui até a nona volta. Mudei de canal. Impressionante como a fórmula um é um engodo. Não acontece NADAAAAA! Só os carrinhos passando uma, duas, três….. O pior é que entra ano e sai ano e o título fica restrito a uma ou duas equipes no máximo, o resto é resto.

    Curtir

  3. Argemiro Miro Silveira

    Corrida chata fila indiana do começo ao fim, Ferrari demorou mais tempo na troca do RAIKKONEN e assim manipulou mais uma vez o resultado, o primeiro piloto tem que ficar na frente. Emoção mesmo foi na Indy

    Curtir

  4. José Carlos Lopes de Oliveira

    Em Mônaco não tem corridas. Tem desfiles. Uma b…

    Curtir