Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

UFC 214: Jon Jones nocauteia Cormier e reconquista cinturão

Lutador americano arrasou o ex-campeão peso-meio-pesado com um chute espetacular no terceiro round e voltou ao topo do UFC

A lenda do MMA Jon Jones teve um retorno triunfal na madrugada deste domingo. Após mais de um ano afastado por problemas pessoais e escândalos de doping, o atleta americano nocauteou o compatriota Daniel Cormier no terceiro round da luta principal do UFC 214, em Anaheim, nos Estados Unidos, e reconquistou o cinturão peso-meio-pesado, que foi seu entre 2011 e 2015.

Aos 30 anos, Jones demonstrou estar em plena forma e exibiu todo o seu repertório diante do grande rival. Seus socos e chutes entraram com força, mas Cormier conseguiu se segurar nos dois primeiros rounds e até teve momentos de domínio, com bons golpes conectados.

No terceiro, porém, um chute alto de Jones acertou a cabeça de Cormier, que ficou grogue e foi ao chão. Jones, então, acertou impiedosos socos na cabeça do ex-campeão até que o árbitro, enfim, encerrasse a luta.

Cormier, irritado, nem quis esperar o anúncio oficial do vencedor. Jones nem deu bola: se ajoelhou e agradeceu por seu retorno ao topo do MMA. “Que momento lindo. Fiz muitas coisas certas para estar aqui nesse lugar. (…)  É incrível. Muito obrigado a todos vocês. Por todo amor, todo apoio. Sei que não foi fácil torcer por mim, sei que tive os fãs mais legais. Queria agradecer a todos, até aos haters. Porque o que vocês diziam me motivava.”

Apesar dol clima tenso de antes das lutas, Jones enalteceu Cormier após sua segunda vitória em dois duelos contra o rival.  “Queria agradecer a Daniel Cormier por ser meu maior rival e meu maior motivador. Ele não tem nenhuma razão para abaixar a cabeça. Ele tem sido um modelo de lutador, de pai, de marido. Ele vai ser um campeão pelo resto da vida. Parabéns, Cormier. Eu espero que você tenha grandes momentos em toda a sua vida.”

No fim, Jones desafiou outra lenda do UFC, Brock Lesnar. “Brock, se você quer saber como é apanhar de um cara que pesa menos que você, me encontre no octógono.”

Mais cedo, o brasileiro Demian Maia foi derrotado, por decisão unânime, na disputa de cinturão dos pesos-meio-médios pelo campeão Tyron Woodley. Já a brasileira Cris Cyborg conquistou o inédito título peso-pena feminino ao nocautear a americana Tonya Evinger. O Brasil tem, portanto, dois títulos, ambos em categorias femininas – Amanda Nunes é campeã peso-galo.