UFC 214: brasileira Cris Cyborg conquista cinturão inédito

Brasileira nocauteou a americana Tonya Evinger e faturou o título peso-pena feminino em Anaheim, nos EUA

A curitibana Cris Cyborg pode, enfim, dizer: é campeã do UFC. A atleta de 32 anos, de excelentes resultados em outras categorias do MMA, se tornou a primeira campeã peso-pena feminino da história da organização ao nocautear a americana Tonya Evinger no terceiro round, no UFC 214, em Anaheim, nos Estados Unidos, na madrugada deste sábado para domingo.

Cyborg havia realizado apenas duas lutas no UFC, com vitórias arrasadoras contra Leslie Smith e Lina Lansberg em duelos de peso-casado (não havia uma categoria para o peso da brasileira no UFC). Ela era amplamente favorita no confronto desta noite contra Evinger, de 36 anos, que lutava no peso-galo e topou substituir Megan Anderson, que desistiu da luta por problemas pessoais.

A brasileira fez valer seu favoritismo, mas Evinger resistiu bravamente a dois rounds de total domínio da brasileira. Após levar vários golpes, Evinger tentou levar a brasileira para o chão, mas Cyborg se defendeu bem. A americana chegou e colocar os dedos nos olhos da brasileira, o que é proibido, interrompendo a luta. Recuperada, a brasileira acertou sequência de socos e chutes no rosto da americana, que se manteve firme.

O segundo round foi semelhante, com Cyborg ditando o ritmo sem correr riscos. Evinger brilhou ao resistir a diversos golpes, especialmente um direto de direita no queixo. Mas, no terceiro round, os golpes entraram de maneira indefensável. Após joelhadas, chutes e socos, Evinger foi ao chão e o árbitro declarou nocaute técnico. Cyborg chegou a 18 vitórias e apenas uma derrota em seu cartel no MMA.

O Brasil chegou, então, dois títulos do UFC. Além da Cyborg, Amanda Nunes detém o cinturão, no peso-galo. Na luta seguinte do UFC 214, o brasileiro Demian Maia foi derrotado, por decisão unânime, na disputa de cinturão dos pesos-meio-médios pelo campeão Tyron Woodley.