Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

UFC 194: José Aldo é nocauteado em 13s e McGregor é o novo campeão

Brasileiro foi ao chão ao levar um direto de esquerda logo no início da luta em Las Vegas. Antes, Weidman também foi surpreendido, por Luke Rockhold, o novo campeão peso-médio

A tão aguardada luta entre José Aldo e Conor McGregor durou apenas 13 segundos e terminou com uma grande decepção para o brasileiro na madrugada deste domingo. O desafiante irlandês provou ser bem mais que um mero provocador e cumpriu a promessa de destronar o campeão peso-pena (até 65 quilos) com um nocaute no primeiro round, na luta principal do UFC 194, em Las Vegas, nos Estados Unidos. Ainda abalado com o direto de esquerda que recebeu no início da luta, Aldo deixou o clima de intensa rivalidade dos últimos meses de lado e parabenizou MgGregor pela conquista – mas cobrou uma revanche imediata para 2016. Antes de Aldo, o americano Chris Weidman também perdeu o cinturão dos médios de forma arrasadora diante do novo campeão Luke Rockhold.

O combate entre Aldo e McGregor era visto como o mais importante de 2015. O brasileiro era o líder do ranking peso por peso (entre todas as categorias do UFC), estava invicto no UFC e carrega o cinturão dos penas desde 2011. Já o irlandês McGregor havia agitado a categoria nos últimos anos, tanto por suas vitórias, quanto por sua excentricidade. O UFC promoveu o duelo intensamente, com eventos em diversos países e provocações de ambos os lados, mas uma lesão de Aldo na costela frustrou a organização e adiou a luta previamente marcada para julho.

O adiamento da luta só fez crescer o ódio entre os lutadores, cada vez mais evidente durante os eventos promocionais. McGregor, que antes havia sido chamado de “bobo da corte” pelo “rei” José Aldo, manteve a pose e prometeu desmoralizar o campeão. E, quando a hora chegou, conseguiu uma vitória, de fato, arrasadora. O brasileiro parecia mais tenso e, logo quando tentou soltar o braço, foi surpreendido com um direto de esquerda que o derrubou imediatamente.

Com Aldo entregue, McGregor ainda teve o prazer de encaixar dois socos no rosto do brasileiro antes que o árbitro interrompesse a luta e decretasse a vitória do novo campeão peso-pena. Desde sua estreia no UFC, em 2013, o irlandês de 27 anos venceu todas as suas sete lutas. Agora, a expectativa é que o chefão Dana White agende uma revanche imediata para o próximo ano.

Weidman destronado – O UFC 194, vendido como um dos melhores eventos do ano, teve outra disputa de cinturão com surpresa. O americano Chris Weidman, carrasco do brasileiro Anderson Silva, carregava a responsabilidade de ser o único campeão invicto no MMA, mas foi atropelado pelo compatriota Luke Rockhold, o novo campeão dos pesos-médios.

O primeiro até round foi parelho, com bons socos de Weidman no início e Rockhold tentando levar a luta para o chão. Nos assaltos seguintes, porém, Rockhold surpreendeu o campeão com uma sequência incrível de golpes. O azarão conseguiu a montada e castigou Weidman impiedosamente. O árbitro Herb Dean poderia até ter interrompido a luta, mas deu uma chance a Weidman. Mas no terceiro round, Rockhold viu que o adversário estava entregue e decretou o nocaute com mais uma série de socos e cotoveladas no rosto. Derrotado pela primeira vez, Weidman deixou o octógono completamente desfigurado.

Outras lutas – Outros dois brasileiros subiram ao octógono no card principal. Em uma luta equilibrada e com decisão dividida – e controversa – da arbitragem, o capixaba Ronaldo Jacaré foi derrotado pelo cubano Yoel Romero e perdeu a chance de brigar pelo cinturão dos médios com Rockhold. Jacaré foi amplamente dominado no primeiro round, mas conseguiu suportar a mão pesada de Romero.

O segundo round foi mais equilibrado e quando Jacaré começava a dominar o adversário, Romero infringiu as regras ao segurar na grade para se manter em pé. O árbitro apenas advertiu verbalmente o cubano, mas nenhum ponto foi descontado. No terceiro round, Jacaré acertou uma sequência de socos e conseguiu levar o adversário para o chão, mas Romero se defendeu bem e evitou o nocaute. Ao final da luta, ambos comemoravam, mas a arbitragem decretou a vitória de Romero, para decepção e protestos do brasileiro. Com isso, Romero ganhou o direito de disputar o cinturão peso-médio em sua próxima luta, enquanto Jacaré terá que esperar um pouco mais.

O peso-meio-médio Demian Maia não conseguiu finalizar o islandês Gunnar Nelson, mas foi superior durante todo o confronto, sobretudo na luta no chão, e venceu por decisão unânime dos árbitros. No card preliminar, o brasileiro Léo Santos conseguiu uma grande vitória sobre o americano Kevin Lee. Com pouco mais de três minutos do primeiro round, o vencedor peso-leve do TUF Brasil 2, derrubou Lee com um direto de direita e apenas completou o nocaute na sequência.

Em outro triunfo nacional, Warlley Alves manteve a invencibilidade no peso-meio-médio e venceu o americano Colby Covington por finalização com uma guilhotina. O outro brasileiro, Márcio Lyoto, foi derrotado pelo americano Court McGee por decisão unânime da arbitragem.

(Da redação)