Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Traffic suspendeu pagamento para conseguir conversar com Ronaldinho Gaúcho e o Flamengo

Diretor da empresa de marketing que intermediou o acordo do craque com o clube carioca quer regularizar o contrato, que até hoje é apenas um memorando

“Sou economista e não posso encarar a gestão deste negócio de forma diferente de qualquer outro ramo, senão tenho prejuízo”, diz Gonçalves

O diretor executivo da Traffic, Fernando Gonçalves, empresa de marketing esportivo que atuou com o Flamengo para contratar Ronaldinho Gaúcho, afirmou na tarde desta quinta-feira que voltará a pagar a maior parte do salário do jogador a partir da próxima semana. O motivo da interrupção do pagamento, segundo o executivo, é que é inusitado. Segundo Gonçalves, a suspensão do pagamento nos meses de setembro e outubro foi uma forma de pressionar o clube e o empresário-irmão de R10, Roberto Assis, a receberem a empresa para conversar. Um dos assuntos, ressalta ele, é a necessária regularização do contrato com o clube, que, até hoje, resume-se a um memorando com as cláusulas principais do acordo.

“O memorando tem valor de contrato, mas não é um contrato. Precisa de ajustes. Acontece que a dinâmica no futebol impediu que a gente sentasse para conversar. Um dia é porque o Flamengo está dez rodadas sem vencer, o outro porque o diretor amador está viajando. O futebol é baseado nesse sistema de exceções, mas eu sou economista e não posso encarar a gestão deste negócio de forma diferente de qualquer outro ramo, senão tenho prejuízo. Não estou brigando com o Flamengo ou com o Assis, todos temos interesse em aparar as arestas e esta foi a forma encontrada das três partes se auto-imporem uma data limite”, afirmou Gonçalves.

A reunião pleiteada pela Traffic deve acontecer na segunda ou terça-feira, na sede social do Flamengo, na Lagoa, ou no escritório da Traffic, que fica no mesmo bairro. Na data, Gonçalves apresentará aos dirigentes do Flamengo e representantes de Ronaldinho a versão do contrato que acha adequada para a exploração da imagem e divisão de lucros jogador. Gonçalves, no entanto, garantiu que não haverá mudança dos valores acordados no início deste ano – no qual o clube é responsável pelo pagamento de cerca de 200 mil reais jogador, e a Traffic se responsabiliza por cerca de 900 mil reais.

“A intenção não é mexer no valor do salário do Ronaldinho. O problema não é esse. O ‘defeito de fabricação’ do memorando foi o Flamengo pensar em conseguir um patrocinador master, enquanto a nova realidade do mercado é conseguir esse valor fatiando a camisa. Outro detalhe é que se o Flamengo achar que a que a camisa dele vale 100 unidades financeiras e eu só conseguir 85. Eu não posso vender nada. Assim a Traffic fica a mercê do Flamengo. No ajuste que vamos fazer no contrato criaremos clausulas para que nenhuma das partes fique desprotegida e tome prejuízo”, explicou.

Gonçalves admite que o agenciamento do patrocínio da Procter & Gamble por parte da 9ine, empresa de marketing esportivo de Ronaldo Fenômeno, é outro ponto de divergência no memorando que será alterado no contrato, para a negociação dos patrocínios futuros. “Não posso revelar qual cláusula permitiu que isso acontecesse. Mas, sim, o Flamengo teve uma brecha no memorando para negociar com outra agência e comissioná-la, e assim fez. Não acredito que tenha sido por má fé. Mas com o novo contrato isso não vai se repetir”, afirmou, ressaltando que, apesar do desgaste, não houve, por parte da Traffic, tentativa de invalidar a negociação com a P&G.

O executivo desmente ainda que a empresa estaria em rota de colisão com departamento de marketing do Flamengo devido a lentidão em criar ações publicitárias em torno de R10, que gerasse lucro em 2011. “Não é segredo para ninguém que nós não estamos satisfeitos, porque não atingimos a nossa meta de 30 milhões de reais este ano. Mas todos nós sabíamos que tanto o patrocínio de camisa quanto outras ações de marketing seriam difíceis. Contratamos o jogador em janeiro, uma época em que todas as grandes empresas já tinham fechado seus orçamentos no final do ano anterior. Agora eu assumi parte do planejamento do marketing para 2012 e já fechamos parceria com uma grande empresa de bebidas para que o Ronaldinho seja o garoto propaganda dela. Uma administradora de cartões de crédito criará uma campanha de fidelidade com torcedores do Flamengo. E ainda tem o projeto sócio-torcedor e a intenção de assumir a concessão do Maracanã, junto com a dupla Fla-Flu. Quero obter retorno com o Flamengo a longo prazo”, diz Gonçalves.

Para a torcida, um aviso: a permanência de Ronaldinho está garantida. “Ele tem contrato até dezembro de 2014, e nunca foi intenção nossa, dele, muito menos do Flamengo em negociá-lo com qualquer outro clube do mundo. Todas essas ações estão atreladas a Ronaldinho como nosso garoto propaganda, pode escrever”, afirma.

Leia também:

– Ronaldinho Gaúcho não recebe salário integral há três meses. Mas Flamengo garante que ele fica