Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tóquio quer mudar sedes de eventos de 2020 para reduzir custos

O governador de Tóquio, Yoichi Masuzoe, defendeu nesta quarta-feira a proposta de cortar custos da organização dos Jogos Olímpicos de 2020 na cidade com a mudança de locais de competição, mesmo que isso afete os planos de ter quase todas as instalações próximas da vila olímpica. Em 2013, Tóquio foi escolhida como sede da Olimpíada-2020 com a promessa de realizar um evento compacto, com 28 dos 33 locais de competição sugeridos a até oito quilômetros da vila. Mas os organizadores da olimpíada disseram que estão revendo seus planos, preocupados com o aumento dos custos.

Leia também:

Gasto da Olimpíada no Rio passa a R$ 37,6 bi com novas obras

Rio-2016: sujeira da Baía de Guanabara preocupa biólogo em primeiro evento-teste

COB quer Brasil entre os dez melhores nos Jogos do Rio

De acordo com a imprensa japonesa, os organizadores estão pensando em mudar algumas instalações para locais tão distantes como Saitama, a uma hora do centro de Tóquio. “Mesmo se um local está a 100 quilômetros, é possível chegar em 30 minutos, se o sistema de transporte for adequado”, disse Masuzoe. O governador afirmou que os custos precisam ser a principal preocupação dos organizadores. “As despesas podem crescer 30, 40, 50 vezes mais que o plano original. Como convencer os contribuintes a pagar por isso? Estamos trabalhando com o Comitê Olímpico Internacional e as várias federações esportivas para fazer Jogos sustentáveis. O legado é muito importante.”

Leia também:

‘Brasil dará prioridade absoluta à Olimpíada’, afirma COI

Presidente do COI vê avanço na preparação da Rio 2016

Rio inicia obras ‘simples’ em Deodoro por R$ 643 milhões

O COI, sob a presidência de Thomas Bach, está analisando formas de reduzir os custos de futuras edições da olimpíada. Recentemente, várias cidades desistiram de participar do processo de escolha da sede dos Jogos de Inverno de 2022 por causa de custos.

(Com Estadão Conteúdo)