Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Técnico do Icasa cobra apoio da diretoria para abafar polêmicas

Faltando apenas uma rodada para o término da Série B do Brasileirão, o Icasa não consegue concetrar sua atenção apenas na fuga do rebaixamento já que as polêmicas que giraram entorno dos afastamentos de Júnior Xuxa e Marcelo Pitol ainda ecoam no clube. Para o técnico Arnaldo Lira, cabe à diretoria do Verdão do Cariri tomar atitudes que melhorem o ambiente dentro da equipe.

‘O que me chateia é que eu estou me matando para tirar o time da zona de rebaixamento, mas não tenho apoio da diretoria’, disse o treinador à Rádio O Povo/CBN, reclamando principalmente do silêncio do clube em relação à declaração de Júnior Xuxa, que justificou as faltas nos treinos por problemas pessoais e ainda acusou Arnaldo Lira de viajar embreagado com a equipe.

‘Acho que o Icasa deveria ter tomado uma atitude quanto a isso. O que passa para o torcedor é que é um problema pessoal, mas o Zacarias (Silva, presidente do conselho deliberativo) sabe que o Júnior não foi treinar porque estava bebendo.’

Arnaldo Lira não se arrepende de ter afastado o atacante e o goleiro do Verdão do Cariri. Para ele, se isso não tivesse acontecido, o time já estaria rebaixado no Nacional. ‘Esse pessoal não queria absolutamente nada. Não posso escalar atleta que não treina, não se dedica e não participa. Pode ter certeza que o Icasa já teria caído se eu não tivesse feito essas modificações’, analisou o comandante.

Agora, sem Júnior Xuxa e Marcelo Pitol, e só com mais três pontos em jogo, o Icasa joga sua sobrevivência no sábado, diante da campeã Portuguesa. Para permanecer na segunda divisão, o time tem que vencer o duelo e ainda torcer para um tropeço, ou do São Caetano ou do ASA-AL.