Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sucesso no esporte, mas nem tanto nas urnas

Amparados pela carreira construída no esporte, vários ex-atletas tentaram conquistar um lugar na Câmara dos Deputados ou na Assembleia Legislativa de seus Estados neste domingo. No entanto, a maioria foi rejeitada pelos eleitores – poucos se deram bem, como no caso do ex-goleiro gremista Danrlei (PTB), quarto deputado federal com mais votos no Rio Grande do Sul (173.787); ou Romário (PSB), eleito no Rio para a Câmara dos Deputados, com 146.859 votos.

Companheiro de ataque de Romário na conquista do tetracampeonato mundial em 1994, Bebeto (PDT) recebeu apenas 28.328 votos, mas se elegeu deputado estadual no Rio por conta do coeficiente eleitoral da coligação do seu partido. Na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, terá a companhia de Roberto Dinamite (PMDB), presidente do Vasco, reeleito ao receber 39.730 votos. Em Minas Gerais, Marques (PTB), que se aposentou neste ano, contou com o apoio maciço do torcedor do Atlético Mineiro para ser o segundo deputado estadual mais votado, com 153.225 votos. O ex-goleiro João Leite (PSDB) recebeu 84.316 votos para seguir na Assembleia Legislativa de Minas. Mas os casos de sucesso nas urnas acabam por aí.

Vampeta

Vampeta (VEJA)

O técnico Valdir Espinosa (PDT) tentou se tornar deputado estadual no Rio, mas teve apenas 2.292 votos. Ex-ídolo da torcida do Atlético-MG, Reinaldo (PV), atualmente vereador de Belo Horizonte, perdeu a disputa para o cargo de deputado federal: recebeu apenas 22.201 votos.

Ex-jogadores do Corinthians, clube que comemora o seu centenário neste ano, tentaram e não conseguairam. O mais votado foi Marcelinho Carioca (PSB), que queria uma vaga na Câmara dos Deputados, ma srecebeu somente 62.397 votos. Vampeta (PTB) também quis se eleger deputado federal, mas teve 15.300 votos. Dinei (PDT) não foi eleito deputado estadual, com 18.275 votos.

Popó

Popó (VEJA)

Ademir da Guia (PPS), ex-vereador em São Paulo e considerado o melhor jogador da história do Palmeiras, não conseguiu uma vaga na Assembleia Legislativa paulista ao receber apenas 17.196 votos. Na Bahia, o ex-boxeador Popó (PRB) dispuatou vaga para deputado federal – mas teve 60.338 votos. Maguila (PTN), também boxeador aposentado, quis se tornar deputado federal por São Paulo, também não teve sucesso, com apenas 2.951 votos.

Eleito vereador em Goiânia, o artilheiro Túlio Maravilha (PMDB) fracassou na tentativa de se tornar deputado estadual em Goiás e recebeu apenas 4.526 votos. Outros ex-jogadores também dipsutarma e não consegauiram se eleger deputados estaduais. Robgol (PTB) teve só 11.814 votos no Pará, e Harlei (PSDB) perdeu em Goiás, com 167 votos

Rebeca Gusmão

Rebeca Gusmão (VEJA)