Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sócio americano de J. Hawilla paga fiança de US$ 5 milhões e é solto

Presidente da Traffic nos EUA, Aaron Davidson é acusado de conspiração, fraude financeira e lavagem de dinheiro

O empresário americano Aaron Davidson, presidente da Traffic Sports USA (braço nos Estados Unidos da empresa do brasileiro J. Hawilla), pagou fiança de 5 milhões de dólares (15,6 milhões de reais) à Corte de Nova York e foi liberado da prisão nesta quarta-feira, de acordo com um documento da Justiça americana. O executivo já havia se declarado inocente das acusações de conspiração, fraude financeira e lavagem de dinheiro relacionadas ao escândalo de corrupção da Fifa.

Leia também:

De repórter de campo, a alvo da CPI: os negócios de J. Hawilla

Juiz manda prender parceiros argentinos de J. Hawilla

Traffic é avalista de empréstimo para pagar acordo de Hawilla

As ligações entre J. Hawilla, a CBF e Ricardo Teixeira

Davidson terá de se apresentar novamente ao juiz Raymond Dearie no dia 17 de julho, na Corte do Brooklyn, onde o processo contra 14 dirigentes e empresários ligados ao futebol está correndo. Ele é um dos acusados pelo Departamento de Justiça dos EUA de terem feito pagamentos ou recebido propinas para a exploração comercial dos direitos de transmissão e de marketing de competições de futebol, que incluem a Copa América, a Taça Libertadores e a Copa do Brasil.

O presidente da Traffic dos EUA foi o primeiro acusado no processo a se manifestar na Justiça americana. Outros sete acusados, incluindo o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, estão presos na Suíça. O dono da Traffic, J. Hawilla, fez acordo com a Justiça, que inclui a devolução de 151 milhões de dólares ao confessar extorsão, fraude eletrônica, lavagem de dinheiro e obstrução da justiça. Com isso, está em liberdade em Miami. O juiz Raymond Dearie negou na semana passada o pedido de acesso à confissão de Hawilla na investigação sobre corrupção.

(Com Estadão Conteúdo)