Segurança reforçada na final da Copa das Confederações

Preocupada com a onda de manifestações, Secretaria de Grandes Eventos do Ministério da Justiça decidiu aumentar em 30% efetivo no entorno do Maracanã

A onda de protestos no Rio de Janeiro coloca em alerta a organização da Copa das Confederações. Por isso, neste domingo, dia da final do campeonato no Maracanã, a segurança policial no entorno e dentro do estádio será reforçada, segundo a Secretaria de Grandes Eventos do Ministério da Justiça. O contingente inicial de 2.000 agentes ganhará mais 600 homens – o que representa um aumento de 30% no efetivo. O objetivo principal é assegurar que a chegada e saída de torcedores e delegações ocorra de forma tranquila, caso seja marcada alguma manifestação para o horário da partida.

Leia mais:

O MP, agora, também vai às ruas protestar

Com o triplo da multidão, Rio tem noite de pancadaria

No dia último dia 16, um domingo de jogo entre Itália e México também no Maracanã, um protesto com cerca de 300 pessoas terminou em confronto com a polícia. Depois de tentar chegar aos pontos de acesso ao estádio, o grupo foi deslocado para a Quinta da Boa Vista, parque vizinho, onde todos os domingos reúnem-se centenas de famílias. Manifestantes reclamaram da truculência dos policiais e afirmaram disparos aleatórios de balas de borracha – informação negada pela polícia. Na quinta-feira passada, alguns participantes de um protesto em frente à prefeitura também tentaram chegar ao estádio, mas foram cercados por um cordão de segurança já prevenido.

A Secretaria de Grandes Eventos acredita que a tendência seja de redução dos protestos, mas prefere não arriscar no dia da final. O efetivo de 2.600 agentes deslocados para o Maracanã é formado, principalmente, pela Polícia Militar – a quem cabe garantir a segurança dos torcedores e evitar o avanço de eventuais protestos. Também estão incluídos no contingente bombeiros, defesa civil, guardas municipais, policiais federais e rodoviários federais. No caso da Polícia Federal, a incumbência principal é a segurança das delegações e dos VIPs da Fifa. A PRF, por sua vez, é responsável por assegurar o deslocamento dos jogadores.

Leia também:

Dilma se encontra com líderes do Passe Livre, governadores e prefeitos

‘Ninguém vai proteger vândalos’, diz governador do Rio

Vídeo: Protesto no Rio termina em pancadaria e destruição